quinta-feira, 15 de março de 2012

889 - partita de entrega para girassóis e lilases V


antes de cerrarem-se as pálpebras da noite
e o céu regressar a sua imensidão de azul
aspiro povoar teu corpo das constelações
incitar a órbita de descaminho na via láctea

antes de cerrarem-se as pálpebras da noite
almejo os teus montes em torto desalinho
ponho-me em naus a soçobrar em teu mar
atiço os raios e trovões desta tempestade

antes de cerrarem-se as pálpebras da noite
antes de cerrarem-se as pálpebras da noite

12 comentários:

Bípede Falante disse...

Antes é preciso coragem, depois, amor.
Beijoss :)

Everson Russo disse...

Povoar seu corpo das constelações,,,que maravilha de viagem,,,abraços de bom dia.

Lídia Borges disse...

"Não há nada como o sonho para criar o futuro". (Victor Hugo)

"antes de cerrarem-se as pálpebras da noite", sim!

Um beijo

dani carrara disse...

a vida há de ser uma entrega
bj

Luiza Maciel Nogueira disse...

um prolongamento do instante que passa, em contemplação

beijos

dade amorim disse...

Muito pode ser realizado antes que a noite cerre suas pálpebras.
Beijo beijo.

Tania regina Contreiras disse...

aspiro povoar teu corpo das constelações
incitar a órbita de descaminho na via láctea...

ai, ai, Assis (suspirando!!! rs). Muito belo!
Beijos,

Daniela Delias disse...

Deve ser bonito um corpo povoado de estrelas, tão lindo quanto o teu poema.

Bjo!

MIRZE disse...

Bárbaro!

"atiço raios e trovões! luz e tambor!

Beijo

Mirze

Lara Amaral disse...

Essa será daqueles noites intermináveis.

Beijo.

Vais disse...

Uau, Assis,
entrega de tirar o fôlego, altamente irresistível de abrir, fechar e revirar os olhos ☺

beijinho

Jorge Pimenta disse...

antes de tanto que se não repete. são assim os grandes momentos: eternizam-se em si mesmos.

abraço, assis!