segunda-feira, 12 de março de 2012

886 - partita de entrega para girassóis e lilases II


onde tu estavas ontem
que eu não te via
e tudo era somente
a estrada deserta
sem os teus olhos
para me fazer oásis

onde tu estavas ontem
se os lábios já exalavam
o teu cheiro de língua
e as ondas me cobriam
nesse oceano de palavras

onde tu estavas ontem
quando as perguntas
eram apenas distancias
se agora já te pertenço
e não sei mais de mim

onde tu estavas ontem
se já não há pretérito
e todos os sentidos
se ancoram em teus ais

13 comentários:

Nicast disse...

lindo!

bom dia.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Maravilha Assis!

beijos

LauraAlberto disse...

ah poeta, o verdadeiro amor que nos faz perder...

beijinho
LauraAlberto

Joelma B. disse...

indagações tão minhas, mestre Assis!!

Beijinho carinhoso com admiração!

Everson Russo disse...

Talvez fosse luz apenas da imaginação de quem ama...abraços de bom dia.

Daniela Delias disse...

Enquanto lia, lembrei de Vinícius e Toquinho cantando "Onde anda você", musiquinha do nosso tempo:

"E por falar em paixão, em razão de viver, você bem que podia me aparecer...".

Lindo o poema. Lindo pertencer a um amor.

Bjo

MIRZE disse...

Cantata de PURO AMOR!

Muito lindo!


Beijo

Mirze

Gislãne Gonçalves disse...

Onde nós estávamos quando as perguntas surgiram?

Lindo

beijos
:)

Bípede Falante disse...

Onde tu estavas ou onde estavam os meus olhos?? rs
Gosto desses poemas de desencontro e surpresa. Gosto bastante!
beijoss

Celso Mendes disse...

ausências são eternos combustíveis poéticos.

abraço, poeta.

Lara Amaral disse...

Isso é lindo de doer!

dade amorim disse...

No oceano de palavras é que a gente se encontra.

Beijo.

Andrea de Godoy Neto disse...

Assis, querido, essa série toda de girassóis e lilases, é belíssima

mas este foi o que mais me tocou... lindo de doer

beijooo