terça-feira, 13 de abril de 2010

183 - houvesse mais som eu ouviria


você não viajou no laço da canção
era Carmina Burana
mas podia ser Bach
no piano de Glenn Gould
ficamos tão sozinhos no primeiro ato

8 comentários:

Mai disse...

O silêncio é ensurdecedor. O 'Só' é impiedoso quando teima em não ir...
E o teu poema é música que não cansa.
cheiro

nina rizzi disse...

lembrei do meu:
são ternas as canções que ouvimos
mas mais são as não olvidas.

algo assim. silêncio é palavra que habita, palpita, é toda música que faço.

beio e cheiro junto, né.

Magnolia disse...

Poeta.....

Lara Amaral disse...

Eu viajei, sem dúvida. Delícia de escrito esse.

Beijo.

Zélia Guardiano disse...

Eu ouviria todos os sons de seus poemas... Sempre!!!
Um abraço

PS- Adorei sua visita! Volte sempre que puder. Você tem cadeira cativa!

NãoSouEuéaOutra disse...

o primeiro acto, esta vida... sozinhos!! e só essa música de fundo... depois, aquele acto que ansiamos, e esquecemos tudo e já somos unidade e a saudade não marca a idade porque somos a eternidade... já somos eternidade sem o saber!!

Jorge Pimenta disse...

Se as tuas palavras não são a música que ora apazigua, ora agita a alma...
Um abraço, Assis!

Gerana Damulakis disse...

Muito interessante.