domingo, 25 de abril de 2010

195 - Cine Íris


Na matinée de domingo
A invencionice da trama
Conspirava aconchego
Pipocavam inocências
De mãos e olhares

13 comentários:

Primeira Pessoa disse...

um filme na retina (íris) e um poema na cabeça.

bom dia, poeta das lembranças bonitas!

Marcantonio disse...

Inocências que o poeta convocava ternamente à matinée do poema.

Um bom domingo!

Jorge Pimenta disse...

com o olhar pousado na infância...

Abraço, Poeta enorme!

Maria Vieira disse...

é onde a luz da tela incide.
abraço.

Lara Amaral disse...

Uma candura só!

Belo!

Beijo.

Mai disse...

Tímidos amores guardados nos olhos.
beijo

Lou Vilela disse...

Seu 'olhar', como sempre, capturando belas imagens! ;)

Bjs

Gerana Damulakis disse...

"Pipocavam inocências":muito bom.

[ rod ] ® disse...

E determinavam quantos de nós assistimos calados! abs meu caro.

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Assis,

"Pipocavam inocências
De mãos e olhares"

Comprei duas entradas, poeta!

Abraço valadarense,
Pedro Ramúcio.

Zélia Guardiano disse...

Ah!... Matinée de domingo... Coisa de um tempo em que o domingo tinha graça...
Lindíssimo!
Parabéns, Assis!

Abraço

Matéria Escura disse...

nada mais bonito que a pureza dos desejos

Ribeiro Pedreira disse...

minha última sessão de cinema de rua.
falta ainda algo mais caliente para o Cine Central.
rsrsrs.
Abraço, meu caro.
A propósito, em que bairro vc mora em Feira de Santana? Podemos nos conhecer pessoalmente. Um abraço, caro Assis.