domingo, 25 de abril de 2010

195 - Cine Íris


Na matinée de domingo
A invencionice da trama
Conspirava aconchego
Pipocavam inocências
De mãos e olhares

13 comentários:

Primeira Pessoa disse...

um filme na retina (íris) e um poema na cabeça.

bom dia, poeta das lembranças bonitas!

Marcantonio disse...

Inocências que o poeta convocava ternamente à matinée do poema.

Um bom domingo!

Jorge Pimenta disse...

com o olhar pousado na infância...

Abraço, Poeta enorme!

Maria Vieira disse...

é onde a luz da tela incide.
abraço.

Anônimo disse...

Uma candura só!

Belo!

Beijo.

Mai disse...

Tímidos amores guardados nos olhos.
beijo

Lou Vilela disse...

Seu 'olhar', como sempre, capturando belas imagens! ;)

Bjs

Gerana Damulakis disse...

"Pipocavam inocências":muito bom.

[ rod ] ® disse...

E determinavam quantos de nós assistimos calados! abs meu caro.

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Assis,

"Pipocavam inocências
De mãos e olhares"

Comprei duas entradas, poeta!

Abraço valadarense,
Pedro Ramúcio.

Zélia Guardiano disse...

Ah!... Matinée de domingo... Coisa de um tempo em que o domingo tinha graça...
Lindíssimo!
Parabéns, Assis!

Abraço

Matéria Escura disse...

nada mais bonito que a pureza dos desejos

Ribeiro Pedreira disse...

minha última sessão de cinema de rua.
falta ainda algo mais caliente para o Cine Central.
rsrsrs.
Abraço, meu caro.
A propósito, em que bairro vc mora em Feira de Santana? Podemos nos conhecer pessoalmente. Um abraço, caro Assis.