quinta-feira, 3 de março de 2011

511 - poema com feitio de cavidades

havia um rio, tão frio
que me fazia navegar
por entre as algas

havia um rio, vazio
que fazia água
por entre olhares

havia somente o rio
semente de umidade
serpente da saudade

17 comentários:

Everson Russo disse...

Um rio que traduz lagrimas de saudades..abraços de bom dia.

Vanessa Souza Moraes disse...

Saudade sinuosa.


http://vemcaluisa.blogspot.com

ErikaH Azzevedo disse...

Rio que espera ser levado ao (a)mar.




bjo

Erikah

Jorge Pimenta disse...

em cada rio sejam os nossos cabelos o brilho esquivo das águas (mesmo que geladas).
um abgraço!

Cris de Souza disse...

tão bucólico...

beijo, mestre!

Cris de Souza disse...

(jorge falamos ao mesmo tempo, bate na madeira três vezes)

^^

Analuz disse...

Saudade caudalosa
que escorre sinuosa
dos olhos meus...

Beijinho de Luz, Assis!

Luiza Maciel Nogueira disse...

e tem aquele outro rio,
que nos lábios nasce
água corrente de ilusão
esperança feito de paixão

Beijos poeta!

PS: vou já ver o CD do urubú, é um bicho que tem me fascinado ultimamente - indefeso, o bicho só come o que já está morto - um dos recicladores/cata lixos - da natureza. Não é incrível? - outro dia vi um desses na praia.

Oria Allyahan disse...

Isso de rio, água e umidade me faz lembrar Castro Alves! E a serpente então...

^^

R.B.Côvo disse...

Agora senti saudade do rio da minha infância. Abraço.

Sandra Botelho disse...

Um rio de lagrimas, de saudades...Bjos achocolatados

Mirze Souza disse...

ASSIS!

Um rio de dar inveja ao mar. A segunda estrofe e os dois últimos versos são obra prima!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

nydia bonetti disse...

Também me fez lembrar o rio da minha infância, Assis, quando ainda não conhecia esta serpente chamada saudade... bjos.

teca disse...

Que arrepio ao ler "serpente da saudade"...

Era só o rio...

Um beijo doce.

Lara Amaral disse...

Fortes meandros os seus, meu caro!

Grande abraço!

Ingrid disse...

Assis,
naufragar e reviver..
beijo

Eder Asa disse...

Aguas passadas, Assis...

Abraço!