quinta-feira, 24 de março de 2011

532 - Compêndio para o desatino do teu olhar


É um pouco que perdura
É um raso que naufraga
É pouso mas desabriga

27 comentários:

dani carrara disse...

bonito.

Everson Russo disse...

E´o amor que se entrega...abraços de bom dia.

Fernand's disse...

tonteia e joga
no próximo abismo.



bjsmeus

Rejane Martins disse...

Querido Assis,
Mas que coisa mais bonita que a gente viu por aqui, neste mileum, mágica, como toda poesia toda, emocionei-me muitas vezes. São realmente muito lindos teus versos. Minhas melhores sacadas foram andando dentro da vida, dos livros e do mundo acadêmico, mesmo. Tem tempo que descobri que sem educar as sensibilidades todas as habilidades são tolas e sem sentido. Sob meu ponto de vista, a vida não persegue a poesia, a vida é a poesia. Viver a poesia é que é a arte! Tu consegues inverter os ventos como um Grande Anjo Torto, aquele mesmo que depois de morrer, ainda foi assassinado pelos Titãs.
- terramarear atenção
o futuro é hoje
e cabe na mão
fica a morte por medida
fica a vida por prisão - Há muito que ser feito pela arte deste país, em língua portuguesa, não te parece? Li, pelo menos, uns 300 poemas teus anteriores, lá do mileum, e conheço a árvore da poesia faz tempo. Mas, confesso: achei que tu ficaste muuuuito melhor depois da metade. Tua poesia é a poesia no gesto de um douto. É outono, é hora de repensar os latifundios improdutivos na internet, mas eu ainda estou no mar, sempre estarei a te navegar, moro em ilha de ostras e nunca tinha visto tantas pérolas quanto as que tu promoveste e promove, pras gentes. Eu sou aquela foto, aquela escrita, aquela pessoa, eu não calo coração, eu sou rejaneando e meu e-mail está no perfil e tu, tiras leite de pedra, INverte o leite em água. Muitíssimo obrigado por todos muitíssimos prazeres proporcionados.

[nenhuma inteligência deve ser subestimada ou desrespeitada]

Rejane Martins disse...

Esqueci de te dizer, chorei de emoção ao te ler em 531.
um abração,

Sandra disse...

É labirinto sem saída...
Beijo

Loba disse...

(é esperança que desespera)
alguns olhares são mesmo assim!

Tania regina Contreiras disse...

É Assis, que numa partícula mostra um universo!
Beijos,

Sam disse...

são detalhes grandiosos
assim como um tufão lá longe
vem soprar a brisa
na beira dos meus cílios.

Meu beijo, Assis!

Celso Mendes disse...

Diz muito, de forma bela, sábia e em poucas palavras. Poesia do essencial, como são os olhares.

Abraço!

R.B.Côvo disse...

Os olhares dizem muito e você descreveu-os com tão poucas linhas. Conciso. Abraço.

sinfonia disse...

Meu amigo venho aqui muita vez
silenciosamente...hoje deixo-lhe
um beijinho
Irene

Analuz disse...

Estive um tempo sem te ler... e te ler acumulado é uma overdose de sensações... mas eu sobrevivo...

Adorei o 528...

Beijinho de Luz, Assis!

CARLA STOPA disse...

Belíssimo...Brevíssimo...Grande abraço.

Raíz disse...

ASSIS!

É um pouco, é um raso, mas é pouso.


Beijos poeta MIL!

Mirze

Maria Andrade disse...

lindo por demais... desde o título até o suspiro final (inicial?)

Luiza disse...

lindíssimo!

beijos

Contos da Joii disse...

Quem não pode compreender um olhar tão pouco compreenderá uma longa explicação. Saudades daqui Assis. Beijos da Joii.

Lívia Azzi disse...

Flechou-me!

Beijo!

Jorge Pimenta disse...

e, todavia, quase-olhar em sobredesatino...
abraço, amigo!

Eder Asa disse...

É abismo que eleva...

Lindo, Assis!

dade amorim disse...

Contradições condizem muito com olhares.
Beijo.

Daniela Delias disse...

Tão lindos os compêndios...Meu amigo, anda tão curto o tempo para curtir a poesia! E a tua faz falta na minha rotina...mas nada de falar em trabalho no sábado, é noite de estar entre amigos! Bjos, com mto carinho!

teca disse...

Ah... eu gostei! Oamor que se revela...

Um beijo.

Bípede Falante disse...

Perfeito!!!

Cris de Souza disse...

é demais pra minha beleza!

Ingrid disse...

simples olhar que tuas palavras mergulham divinamente..
beijo.