terça-feira, 15 de março de 2011

523 - ensaio neoconcreto para a gramática da clausura

de quem me lê para ti estou mudo
não ao mundo imundo de Raimundo
que seria rima se assim preciso fosse
mas quero mais: desenhos obsoletos
cores fugidias, algozes de passagem
livro verdejante, paisagem de corrimão
pois para o tudo se ler há fome de olhar
a pia de Maria, o barro de José, o fado
essa coisa que nasceu escrita no corpo
e que incendeia de pretéritos a caligrafia

17 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

queremos sempre mais, quanto poemas tens nessa cartola?

beijos

Everson Russo disse...

Que se faça profundo o mundo...abraços de bo dia

Wanderley Elian Lima disse...

Nesse mundo imundo, não cabe todo mundo, só restarão os escolhidos.
Abraço

Sam disse...

há de se ter rabiscos além das paredes
dos livros desencontrados nas esquinas
dos olhares secos
e brochantes
há de ter esse algo a mais
que as estradas do corpo.

Abraços, flores e estrelas, Assis...

Tania regina Contreiras disse...

Salve Assis, que dispensa as rimas e incendeia de pretéritos a caligrafia. Sempre o máximo te ler, meu irmão!
Beijos,

Rejane Martins disse...

libras rica linguagem, de LIBRAS.

Sonhadora disse...

Poeta

Hoje passando apenas para oferecer o meu selinho de 500 seguidores,se quizer aceitar, terei o maior prazer.

Beijinhos
Sonhadora

R.B.Côvo disse...

Queremos sempre mais. Nada mais salutar. Abraço.

Loba disse...

fui grafando as pérolas e ao fim descubro que a ostra é incansável em seu fazer poético. e poeta se confunde, infunde, se funde à poesia. parabéns por todos os mil dias. que eles se multipliquem sempre.
beijo

Ingrid disse...

sempre a fome de buscar ,sim, o que nos vai mais fundo na alma..
beijo querido Assis

dade amorim disse...

Você tem uns poemas tão originais e sagazes que mexem com a gente.
Beijo beijo.

Daniela Delias disse...

Há fome disso tudo, sim...que coisa bem linda de se dizer e de se ler...bjo, querido!

Marcantonio disse...

Para mim, para o meu gosto, só prova a superioridade dos neoconcretos (em que pese a licença poética) sobre os concretos.

Abração.

Cris de Souza disse...

" pois para o tudo se ler há fome de olhar "

putz, perfeito! por essas e outras te abano...

Eder Asa disse...

A rima é a solução,

Gostei desse, especialmente! Grande abraço,

Lara Amaral disse...

Muito bom, Assis!

Beijo.

Raíz disse...

Incêndios de pretérito ou não, é somente tua a caligrafia e formação do poema.

Maravilha!

Um beijo

R