segunda-feira, 14 de março de 2011

522 - ensaio neoconcreto para umbrais e vazantes

Músculo vazio eu te absorvo
Só assim me sacio de alísios
Deliro até me acostumar com
O trigo absorto em tua orelha

Eu que vinha de tantos reinos
Agora pasto mineral me restou
Debruço-me nestes escalíneos
Palavra que incito já a se criar

Por isso dou forma aos retardos
Aguardo sobrancelhas de cerca
Acerco-me em britas e esperas
Esqueço-me à sombra do beiral

*No dia nacional da poesia ganhei presente aqui do Eu lírico

17 comentários:

Sam disse...

dou-te a água de meu beijo
como vertentes de gotas cristalinas
sei que gostas desse jeito
desavisado
de me absorver
e nos detalhes desse pântano
mais árido que os meus olhos
sou o sol a pino
secando os sonhos
antes semeados e postos nos varais.

Abraços, flores e estrelas...

Sandra Botelho disse...

E por fim sou nuvem a ir e vir a esperar cada gota de ti...
beijos achocolatados

Batom e poesias disse...

Lindo poema.
Só cismei com "O trigo absorto em tua orelha"

Bjca

Rossana

Eder Asa disse...

O trigo absorto em tua orelha, é realmente de cismar rssrs
Esses seus ensaios neocontretos são fantásticos!

R.B.Côvo disse...

Que bom é nos esquecermos! Abraço.

Eurico disse...

O poema número 4 dessa tua série de pérolas escritas chama-se Poema de Circunstância.
E o dia de hoje é uma feliz circunstância para voltar a lê-lo.
O Eu-lírico te dá essa oportunidade rsrsrs

Ave, Poesia!

Abraço fraterno.

Ingrid disse...

me debruço em teus versos e amoleço as palavras vazias em mim..
beijo poeta..

Tania regina Contreiras disse...

Poeta, poetaço...tinha que vir a qualquer momento deste dia nacional da poesia e agradecer a festa que seus versos fazem sempre e sempre e sempre na minha alma. Obrigada!
Viva a poesia!
Beijos

Ira Buscacio disse...

Assis, querido,

Esquecer-se! Gosto muito...

Bj, parabéns e boa semana pra gente

Analuz disse...

Oi, Assis...

Estive ausente de tua leitura... aproveito para ficar atualizada...

Beijinho de Luz!

Lívia Azzi disse...

Esqueço-me, acho-o. Encontro-o, perco-me.

Luiza Maciel Nogueira disse...

paisagem de um interior incontido de belezas :)

beijos!

Vinicius.C disse...

Ola poeta!!

Passando para deixar o meu abraço!!

Nos encontramos no Alma.

Vinicius.

dade amorim disse...

Parabéns por esse dia, amigo Assis.
E parabéns pelos poemas que você nos brinda.
Beijo.

Raíz disse...

O que restou, pasto mineral, de tão belo faz-se esquecer à sombra do beiral

Beijo

R

Rejane Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rejane Martins disse...

li.
reinauguro
a palavra sépia
mas não criada por mim
uma palavra açulada: escalíneo
sorriso doce de puro brilho desenhado.