domingo, 6 de março de 2011

514 - Ensaio vesano para o itinerário do vento

Estou hoje obtuso como rio sem margem
Desorientado no seu leito vagar
Apoiado apenas no singelo horizonte
No traço tênue, quase invisível
Onde se perdem os lírios enamorados
Estou hoje decididamente vadio de vazios
E o que corre no meu corpo não é sangue
Há somente ar inflando-me como solidão

21 comentários:

Vanessa Souza Moraes disse...

Vadio de vazios.

Dolorido-dolorido.

Lou Vilela disse...

"Solidão" prenhe. ;)

Bjs

teca disse...

É melancólico... mas confesso que eu também me sinto assim hoje!
Um beijo.

Sam disse...

hoje,
há mais que rio
no leito do seu olhar
me dizendo das marés sem voltas
das margens sem dono
dos estranhamentos
que tanta solidão trás.

Abraços, flores e estrelas...

Everson Russo disse...

Essa solidão que consome e devora...abraços de bom domingo.

R.B.Côvo disse...

A atroz solidão. Desde que acompanho o seu blog este terá sido talvez o que mais gostei. Abraço.

Domingos Barroso disse...

vazio vazante
[em uma alma vasta]

...

forte abraço,
irmão Assis.

Vais disse...

Ei, Assis,
lembrei uma música do Biquini Cavadão :)

um pedacinho

"Vento, ventania
Me leve prá onde
Nasce a chuva
Prá lá de onde
O vento faz a curva...
Me deixe cavalgar
Nos seus desatinos
Nas revoadas
Redemoinhos...

Vento, ventania
Me leve sem destino
Quero juntar-me a você
E carregar
Os balões pro mar
Quero enrolar
As pipas nos fios
Mandar meus beijos
Pelo ar..."

Carnaval arretado procê

beijo

Dario B. disse...

O tudo preenchido por nada, resta a linha do horizonte para segurar-se. É triste, Assis, bastante.

Mulher na Polícia disse...

É assim mesmo.
Quando vc menos se dá conta alguém acaba com a sua solidão e nasce o sol mais lindo no horizonte.

Que te venham muitos belos horizontes, Assis!

Beijos!

Ingrid disse...

perfeito!..
são dias de vento,sem rumo..
beijo

Sonhadora disse...

Poeta

Vazio de tudo cheio de nada...apenas tempo.

Deixo um beijo
Sonhadora

Sandra Botelho disse...

Esse vazio somente um amor preenche...
Bjos achocolatados

Lívia Azzi disse...

De que valeria uma boa companhia se não soubéssemos ser bons companheiros da solidão?

Beijo

Tania regina Contreiras disse...

Ai, sem como é...Mas não sei dizer assim, e assim dito, não é que até parece bonito o que entristece????
beijos, Assis

Elza Fraga disse...

E quando solidão corre nas veias,
o sangue se esconde nas sombras do vazio. O buraco na alma fica frio
como se sobrasse apenas chuva despencada da visão.

Belos seus versos. Belo poema.

Eder Asa disse...

No domingo a gente se sente assim mesmo,
"Sinto que meu domingo fica azedo,
Sim, todo domingo eu sinto medo"
(Andrea Dias)

Abraço!

Lara Amaral disse...

Ai, solidão que inflama!

Mirze Souza disse...

ASSIS!

Vadiar nos vazios, já obtuso como rio sem margem. Lindo demais!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Bípede Falante disse...

quem me dera dos meus vazios levantar tão grande voo!

Luiza Maciel Nogueira disse...

"ar inflando-me como solidão" verdadeira imagem de um dia só

beijo