quinta-feira, 3 de novembro de 2011

756 - apontamentos de verão para faces à ventura

bendito seja o tempo que germina o ventre
que a pelve incandescente o sol transcende

bendito seja o frescor que irriga a intempérie
que a mão caridosa inocula em movimentos

bendito o cúmulo que se forma em auréola
que conduz para a sagração do afortunado

bendito o repasto que se oferece em cortesia
que força alguma arrefece quando se anuncia

11 comentários:

Angélica Lins disse...

Bendito seja viver!

Belo.

Beijo

Everson Russo disse...

Bendito seja a vida que no ventre se faz..abraços de bom dia.

Analuz disse...

aqui é meu repasto de todo dia...

Beijinho, poeta Assis!

Wilson Torres Nanini disse...

Assis,

do polén até o fenecer da planta, transitamos em busca de transcendência, que chega, calma, calma...

Abraços!

MIRZE disse...

Bendito sejas, Assis que sabes apontar a beleza de cada ponto vulnerável!

Beijo

Mirze

Tania regina Contreiras disse...

Benito, Poeta, pela poesia de cada dia, nosso pão, nosso alimento!
Beijos,

Bípede Falante disse...

amém ! :)
beijoss

Luiza Maciel Nogueira disse...

benditos sejam os mil e um poemas de Assis! Ei e o livro? responde lá o e-mail! Beijo

AC disse...

Bem-aventuranças quentes e certeiras.

Abraço

Ingrid disse...

e bendito seja o amor..
beijos poeta..

dade amorim disse...

Bendições e venturas, que força têm.