quarta-feira, 23 de novembro de 2011

776 - a poesia é o silencio engravidando sílabas III

a minha família é o vento que urge
e cria identidades na pedra
nem mesmo o mar tão imenso
fica imune aos teus vendavais
a minha família é o vento que urge
e açoita sílabas nas minhas retinas

10 comentários:

Everson Russo disse...

A família é o suporte da vida...rocha da existência...abraços de bom dia.

Bípede Falante disse...

A minha família são as palavras que não desprezam o afeto e emprestam a ele tanto a minha voz quanto a minha mão.
Belíssimo poema, Assis :)
beijoss

Adriana Godoy disse...

Assis, lindíssimo esse 776, sem contar os anteriores. Momento muito criativo o seu, como sempre. Beijo


Quando chegar ao milésimo...o que será que nos aguarda?

Celso Mendes disse...

e a cada sílaba fixada na retina do leitor uma bela imagem.

abraço

dade amorim disse...

A poesia faz parte da família, com toda certeza.

Beijo pra você.

Vanessa Souza Moraes disse...

Sílabas nas retinas fatigadas :)

MIRZE disse...

Lindo, ASSIS!

Beijo

Mirze

Tania regina Contreiras disse...

Eu reconheço a minha família nas suas linhas e entrelinas, Assis: lindo, lindo, lindo!
Beijos

Jorge Pimenta disse...

a minha família é o vento. e juro que a não escolhi...

Ingrid disse...

vendavais de amor..
carinhos e beijos ..