segunda-feira, 14 de novembro de 2011

767 - récita breve para estrelas que gorjeiam o mar

- o sal perdura nas retinas -
sob a circunstancia das marés
- olha o clarim da alvorada -

na carne lacerada: a palavra
o mar arrepia-me de horizontes
em qualquer nuvem desavisada

tua pele se excede de fervor
é sal, mar, nuvem, horizonte
circunstancia dos temporais

14 comentários:

Analuz disse...

em retribuição a tua copanhia poética, desejo uma segunda tranquila e cheia de inspirações, poeta Assis!

Beijinho!

Everson Russo disse...

Forte e profundo sentir,,,dor de alma...abraços de bom dia...bom feriado.

Tania regina Contreiras disse...

strelas gorjeando... Fico com essa imagem hoje e ela me alimenta...
Beijos,

MIRZE disse...

Sal e clarim!

Extasiante!

Beijo

Mirze

Domingos Sávio disse...

temporais que se renovam
sob sonhos ou olhos atentos
...


forte abraço,
irmão.

Adriana Karnal disse...

sendo repetitiva: que grande tu és.

Celso Mendes disse...

estrelas gorjeiam o mar e um horizonte de pele sacia de sal os olhos do poeta.

grande abraço.

Daniela Delias disse...

Lindo e sensual! E o título é o que há...
Um beijão!

Batom e poesias disse...

Eu já falei tudo.
Lindo e etc, etc, etc...

bjs
Rossana

Bípede Falante disse...

pele da natureza inscrita na tua poesia!
beijoss

Maria Marluce disse...

Belos poemas! sensibilidade pura. AMEI O ESPAÇO. Beijos.

teca disse...

Os títulos já impressionam... aí vêm os versos e gorjeiam em alvorada!!!
Um beijo, poeta.

Andrea de Godoy Neto disse...

tudo é sensação...
mas "o mar arrepia-me de horizontes" de fato arrepiou-me, ainda que longe do mar...

lindeza, assis!

beijo

Cris de Souza disse...

Viva a via láctea da lira!