terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

113 - Poema para a senhora do sonho

Não me pergunte por que escrevo.
Escrevo para acalmar as horas,
Para aplacar as distâncias,
Para inundar a agonia da ausência.
Escrevo por um reles desconforto:
A minha alma quer fugir.

7 comentários:

Mai disse...

É isto! Almas são assim, volúveis como as horas que vão e levam o viço e nem olham prá trás.

Você me emociona.
E prá que eu não fuja de mim é que digo - É phoda!
Um beijo

Lou Vilela disse...

Você elencou excelentes motivos! ;)

Beijos

Gerana Damulakis disse...

A alma,senhora do sonho, quer fugir. Mas sonhar também é viver... e escrever. Gostei.

nina rizzi disse...

bem, esse parece que tem destino certo...
é que podia ser aqui :s

Lara Amaral disse...

Compreendo bem... como é fácil identificar-se aqui.

Beijos.

Murilo Rafael disse...

"Escrevo por um reles desconforto:
A minha alma quer fugir."
Belíssimo!

Um abraço,
mR.

Moacy Cirne disse...

Meu caro
seu poema encontra-se
editado no Balaio.

Um abraço.