sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

137 - Quem disse que não és pássaro?

para Lou Vilela

Palavras gorjeiam como asas,
Dão saltos, equilibram-se no alto
Vestem-me de plumas e metáforas
Abrem-se aos horizontes e espaços
Palavras não são laçadas ao acaso.

10 comentários:

Lou Vilela disse...

Gostar? Adorei!! Ver um poeta que admiro dialogando com um poema meu é presente daqueles que inundam a alma. ;)

O poema, uma belezura!


Cheiros de agradecer,
Lou

nina rizzi disse...

pronto, temos uma revoadas de pássaros aqui hoje. que beleza.

um beijo, Assis, outro beijo, Lou :)

Mirse Maria disse...

Um belo diálogo!

Beijos aos dois!

Mirse

Adriana Godoy disse...

Um diálogo cheio de música...lindo.

Jorge Pimenta disse...

Por detrás do malabarismo das palavras, sensações tímidas espreitam dando voz ao poema...
Abraço!

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Assis,
Gosto dessas intersecções metalinguísticas e gostei do(s) poema(Z). Homenagear é prestar-se, tenho tentado...

Abraço mineiro,
Pedro Ramúcio.

ErikaH Azzevedo disse...

..nem são jogadas ao vento.

Palavras têm sempre destino certo..os olhos de quem sente-as....e sente-as bem dentro.

O poema da cecilia que eu tinha no meu blog, no template faria par com esse....

Lindo, sou uma fã tua...

bjos

Erika

Gerana Damulakis disse...

Sua escolha por palavras , tais como "laçadas" está especial. Poesia.

Poétesse disse...

Cheguei aqui através do blog da Lou! É um absoluto deleite descobrir estes "Mil e um Poemas" que irei ler e beber até à última gota!!

bravo disse...

As palavras
São códigos da mente
E metáforas
Da alma.


Bravo