quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

115 - A quintessência do ar

Rogo,
solenemente,
sabores gentis
e ásperos

Rogo,
languidamente,
pecados senis
e tácitos

6 comentários:

Mai disse...

E eu sou cega e senil tateando rugosidades e peles pecaminosas. Rogai por nós!
Cheiro

Gerana Damulakis disse...

Dos melhores, Assis.

nina rizzi disse...

AIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII.
dá pra mim? pelo menos a segunda estrofe, por favor, por favor, por favor, com esse meu sotaque mais misturado que tudo, de R paulista com musica cearense e trejeitos mineiros e malemolência baiana: ô camarada, dá esses quatrio versinhos pra mim...

rsrsrs... um cheiro, Assis, um cheiro.

Moacy Cirne disse...

A quintessência
da boa poesia...

Um abraço.

Jorge Pimenta disse...

E no pecado dos sentidos ou em pecados sentidos, a essência do V Império, quintessência do Ser.
Abraço!

Renata de Aragão Lopes disse...

AMEI!