sábado, 5 de junho de 2010

236 - Suíte para ouvir Leminski


Sobre precipícios desfilam os instantes
Deslizam feito fagulhas atordoadas
Vou começar a me perder para ser o outro,
O que come versos e arrota maresias.
Um dia quero ser todas as poesias

18 comentários:

Por que você faz poema? disse...

Também quero me perder,
ando cansado dessa face e rotina.

Lou Vilela disse...

Lindo, Assis! Deixo um fragmento de Florbela Espanca:

"E se um dia hei-de ser pó,cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar..."

Anônimo disse...

sobre poesia; sobre comentário. mas as mkinhas histórias de comer poesia vem do artaud.

me perder pra ser outro. aiai. "vou por ai a procurar, rir pra nao chorar..."

ninar.

Marcantonio disse...

É um elogio da leitura?
Falamos tanto em nos perdermos de nós, como um desbastar-se para bastar-se, largar o fardo das multidões que nos habitam. Adeus excessos de mim!
Mas aqui o caso é ser multidões de ensaios, ambição de densas levezas, apetite de visões.

O quarto verso é demais! Cronos de poéticas.

Grande abraço!

Macaires disse...

Você já te poesia na mente e nas pontas dos dedos, basta deixá-la tomá-lo por completo!

Um beijo!

Isabella Nucci disse...

"O que come versos e arrota maresias.
Um dia quero ser todas as poesias"
isto está fascinante!
Parabéns por mais esta poesia que nos inspira!
Beijos.

Lara Amaral disse...

Se vc se jogar de algum precipício, as palavras te seguram, meu amigo, é impagável o milagre que faz com elas.

Abraço!

Vanessa Souza Moraes disse...

Todas as poesias é um bocado...

Sandra Botelho disse...

E nessa poesia que a maresia inspira,
Seja somente o primeiro verso...
Deixe o resto ser fantasia!

Bjos achocolatados

Tania regina Contreiras disse...

Acho que você já é todas as poesias...Tem essse quê de síntese, semente, grão de luz (outro poeta disse isso) que se expande!

abraços,
Tania

Jorge Pimenta disse...

já só faltam 765 poemas para seres toda a poesia, hehehe!
um abraço, poeta!
p.s. "o que come versos e arrota maresia" - só este verso está muito próximo de o conseguir...

Insana disse...

a vida é um desafio; viver é estar em um precipício.

Bjs
Insana

Gerana Damulakis disse...

Fantástico:"Um dia quero ser todas as poesias".

Mirze Souza disse...

E aí você nos leva para esses abismos.

Divino! "O que come versos e arrota maresias.
Um dia quero ser todas as poesias"

Você já é todas as poesias.

Parabéns, Assis!

Beijos

Mirze

Primeira Pessoa disse...

deslizo feito fagulha atordoada nestes versos.

lendo o comentário do jorge, um pouco acima, minha agonia se acentua...
rapaz... mileum poemas vai virar livro.
bora lá?

Mulher na Polícia disse...

Oi Assis!!!

Você come versos em alto estilo.
Isso é um banquete.
Uma delícia.

Beijos!

Luiza M. Nogueira disse...

arrotar maresia deve ser, ser pura poesia.

bj.

Daniela Delias disse...

Fiquei encantada por teu blog, Assis! E esse poema é especialmente lindo. Encontrei-o enquanto seguia outros incríveis poetas! Sigo-te agora! Bjo grande, Dani.