quarta-feira, 9 de junho de 2010

240 - Improviso para concerto em Aranjuez

O que me importam os avisos
Se te preguei em meu espelho
Se teu rosto é a minha imagem
Refletida nos vitrais da avenida

O que me importam os avisos
Se me banho em tuas águas
Se me despeço em teus passos
Se és lua em cândida alvorada

O que me importam os avisos
Se as dores se calam em festa
Se teus gestos despertam hinos
Se tua voz me abocanha o céu

16 comentários:

Luiza M. Nogueira disse...

Ah, sim amar! :)
Aguardo ansiosa o poema 241.
bjs.

Everson Russo disse...

É tão bom meu amigo, ter alguem pra dedicar um amor assim,,,pra fazer sonhar diante da vida....abraços de bom dia.

líria porto disse...

o que importam os avisos se o amor se faz cego... se o amor acorda outros sentidos...
besos

Vanessa Souza Moraes disse...

"Quero beber tua água. Não te negues, minha sede é clara." (Caio F.)

Marcantonio disse...

O Joaquim Rodrigo fazia a luz de que carecia fisicamente, vibrar nas cordas do violão. Cego que exalava luz.
Você, que enxerga as cores do dia, consegue fixá-las nos seus poemas, mesmo naqueles onde a sombra ameaça entrar. Arte.

Abração!

nina rizzi disse...

oh, meu caro, tuas palavras sempre me fazem abocanhar os céus. então, nada mais importa, que é tudo "verdade".

beijos.

Zélia Guardiano disse...

Maravilha, Assis!
Não és refém de aviso nenhum... Queres, mesmo, é viver plenamente o seu amor... Certo!!!
Um grande abraço

Jorge Pimenta disse...

tens razão, assis. quando os pronomes se alinham no interior da pele nada verdadeiramente importa. onde começa e termina o "eu"? e o "tu"?...
um abraço, poeta!

Insana disse...

Assim eu apaixono rs

Bjs
Insana

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

"Se és lua em cândida alvorada
Se tua voz me abocanha o céu..."

Que me importa os avisos
Se faz tarde dentro da saudade
que assombra meu coração...

abraços,

Lara Amaral disse...

O aviso pode até piscar em outdoor, mas o alerta de dentro sempre se destaca.

Abraço!

Mirze Souza disse...

Sem palavras, Assis!

Lindo demais! 240 - não cabe comentar, apenas absorver e apreciar.

Beijos

Mirze

Tania regina Contreiras disse...

Tão bonito, como sempre, Assis.
Estou dando um tempinho do blog, fechandopara balanço, mas estrei lendo os poetas sensíveis sempre que puder.
Voz que abocanha o céu: maravilhoso!

Abraços,
Tânia

Júlio Castellain disse...

...
O que importa?
Meu abraço, Assis.
...

Gerana Damulakis disse...

Deve ficar incrível se lido com o concerto ao fundo.

Lou Vilela disse...

Sim, o que importam os avisos
se amar é improviso?

Beijos