quinta-feira, 10 de junho de 2010

241 - Noturno de trem na estação

Da poesia quero sonho louco de mar
Âncoras, palavras e naus impossíveis
Rota cega de cio, o balanço das vagas
Tempestades, branca vela, naufrágios

Da poesia quero sono louco de amar
Perfídia, palavra e marco impossível
Peles, alvíssaras, o rodopio do corpo
Sedução, algaravia, noites e arrepios

Da poesia quero bramir estas espadas
Que me atravessam como duas faces
Uma carpindo os desejos em deserto
Outra cantando rouca sobre os mares

24 comentários:

Everson Russo disse...

Da poesia eu quero o espelho da minha alma....abraços amigo e um belo dia.

Marcantonio disse...

Assis, que belo poema. Nele, sobretudo, destaca-se a beleza da última estrofe, esse flagrar a dupla face da poesia. Esse duelo, ora com a luz, ora com a sombra; essa sina de hoje desdizer, de maneira sincera, o que foi dito ontem e será reafirmado amanhã.

Abração!

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Assis,
Que trem mais bonito!
Da poesia? Fez estação em meu coração.

Abraço de chegada e partida,
Pedro Ramúcio.

ryan disse...

poema afiado
que corta os mares
mortos

abraço!

Zélia Guardiano disse...

Assis
Deslumbrante este poema!
Deslumbrante!
Duas espadas te atravessam como duas faces, uma carpindo e outra cantando... Meu Deus...
Sou-lhe muito grata por me presentear com tanta emoção.
Grande abraço, meu amigo

Geraldo de Barros disse...

com palavras sinceras o poeta tem tudo o que quer da poesia ;)

um abraço
G

Mirze Souza disse...

Assis!

Essas duas espadas nos versos finais arrebatam aos céus qualquer ser vivente.

Simplesmente DIVINO!

Beijos

Mirze

Faltam 860

Joana Masen disse...

Da sua poesia quero apenas os arrepios...

Nydia Bonetti disse...

ai... que dizer da tua poesia, assis. suspiro... :) beijoos

[ rod ] ® disse...

Quero o simples ato de sangrar cantando verdades na solidão da vida.

Abs meu caro!

Lara Amaral disse...

Nela a gente se protege e se projeta.

Abraço grande, poeta!

nina rizzi disse...

assis, da poesia, além das verdadeiras, quero as que me comovem como as tuas.

beijos.

Gerana Damulakis disse...

Excelente, Assis! E finalizou promorosamente.

Cris de Souza disse...

Que bela visão...

Aquele abraço !

Wilson Torres Nanini disse...

De poesia, quero suas entrelinhas, e o mar ensolarado que tem a sua, poeta!

Forte abraço!

Ana SS disse...

Encantador!

Primeira Pessoa disse...

essa sua alma de navegador, assis...
às vezes te vejo num tempo de velas, terra plana e dragões no mar...

belo poema. como sempre!

Isabella Nucci disse...

Genioso... Vc fez uma bela combinação de imagens com requinte poético!
"da poesia só quero a paz pura
para cobrir meu coração"
Beijos.

Í.ta** disse...

da poesia acabamos por querer tanto e tanto, não é?

grande abraço!

Luiza M. Nogueira disse...

Espetacular!

Que trem bão!

bjs.

Macaires disse...

A poesia tem tanto a oferecer e o que nos resta é desfrutar!

Lindo!

Um beijo!

Everson Russo disse...

Abraço pra ti amigo e bom final de semana.

Batom e poesias disse...

Da poesia, eu quero as que me devoram.
Como as suas.
Vim conhecer as 1001. Uma a uma.


bjs
Rossana

Lou Vilela disse...

Visceralmente lindo, Assis! A poesia e suas possibilidades...

Beijos