sexta-feira, 1 de abril de 2011

540 - sobre o ofício de conter o branco na página


Há um infinito por trás de cada palavra
Há um cortejo de sombras em cada frase
Há um silencio pejado de imensidão

25 comentários:

Jorge Pimenta disse...

a imensidão do mínimo.
abraço, poeta!

dani carrara disse...

sim há

uma página em branco

um bom dia

Everson Russo disse...

E que essa imensidão se preencha de cada palavra necessaria ao amor,,,abraços de bom final de semana.

Sandra disse...

há o silêncio do branco cortado...

Ingrid disse...

podia ter sido eu hoje a escrever teus versos.. me cabem..
beijo amado poeta..

Tania regina Contreiras disse...

Há um mar revolto entre as sílabas, Assis... Há tanto que se diz nesse silêncio que fervilha....
Beijos,

Zélia Guardiano disse...

Quanta imensidão, meu querido Assis!
Imensidão de sentido, nos teus versos...
Bravo!
Abraço, amigo.

Raíz disse...

ASSIS!

Sabedoria é isso.

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Mai disse...

Imenso!
Perfeito!

cheiro

Sam disse...

há uma imensidão interminável.
um tudo sem rótulos,
um indefinível intemporário.

Meu beijo, Assis.

curiosa disse...

Assis, querido ...
cada poema teu é melhor que o anterior ... um prazer te visitar ...
bj

R.B.Côvo disse...

Há muito mais do que aquilo que se pinta. Abraço.

R.B.Côvo disse...

Há muito mais do que aquilo que se pinta. Abraço.

Cris de Souza disse...

há epifania...

beijo, mestre!

Lara Amaral disse...

Posso sentir...

Beijo, poeta!

Raquel Amarante disse...

Caro poeta,
Adorando seu blog...
Muitas citações levarei daqui!

Seguindo...

Raquel Amarante disse...

1001 é mto pouco pra sua genialidade...

Luiza Maciel Nogueira disse...

Há tanto em cada verso teu.

Beijos.

Sandra Botelho disse...

Por trás de cada palavra uma emoção, uma sensação...Beijos achocolatados

Isabel Montes disse...

Magnífico! Três versos, três verdades.

Parabéns!
Isabel Montes
http://isabelmontes-poemas.blogspot.com/

dade amorim disse...

Imensas verdades.
Beijo pra você.

Vinicius.C disse...

Olá Poeta!!

Por trás do silêncio ja cultivei olhares de medo.

Encolhi a palavra por entre os dedos.

E descobri em meio as sombras que em cada frase eu poderia ecoar.

Gosto demais de tudo que escreves!

Um ótimo fds!!

Nos encontramos no Alma.

Bípede Falante disse...

Deve ser de silêncio feito o infinito.
Lindo poema, Assis.
beijos

Lídia Borges disse...

Nesse "por trás de cada palavra"
é que o poeta se encontra e desespera na tentativa de iluminar o silêncio "pejado de imensidão".

Ofício difícil este!...


Um beijo

Eurico disse...

há camadas geológicas de sentido,
a palavra é um sítio arqueológico na vastidão deserta da página...

Abraço, Poeta.