quarta-feira, 20 de abril de 2011

559 - metapoema para a canção do beco de bandeira

tem uns versos que fazem cócegas nos olhos
a gente não consegue se despregar das palavras
e elas ficam em burburinho nas nossas mãos
esperneando para sempre um nunca mais

19 comentários:

Angélica Lins disse...

Escrevi certa vez em meu blog, que tem sorrisos que fazem cócegas nos olhos...rs

Mas ler-te, também faz.

=)

Beijo

Zélia Guardiano disse...

Verdade asoluta!
Concordo plenamente com seus lindos versos.
Assino embaixo...
Abraço, querido Assis.

Everson Russo disse...

Mas que esse nunca mais chegue em palavras,,,abraços de bom dia.

Adriana Godoy disse...

E como tem! Legal. beijos

nina rizzi disse...

amo bandeira, como adoro teus versos e te gosto.

e te beijo!

Luiza Maciel Nogueira disse...

cócegas poéticas em ti :)

beijos!

MIRZE disse...

ASSIS!

Lindo imaginar palavrinhas esperneando.

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Domingos Barroso disse...

vão e voltam
[mesmo que pensemos
que não, ei-las
de novo]

forte abraço,
irmão Assis.

Lara Amaral disse...

Até coçou aqui minha mão, hehe, que coincidência.

Beijo ciliado!

Tania regina Contreiras disse...

Estou perdida entre teus versos...Quero seguir os passos de todos, que eu perdi...
Beijos,

Oria Allyahan disse...

Coisa é quando as palavras não saem e o burburinho teima em "atormentar" o espírito...

O.A.

^^

Ingrid disse...

sempre mais no menos...
beijo e boa Páscoa

Sam disse...

Ahhhhhhh, elas em mim, fazem-me cõcegas nos sorrisos.
Que lindo, Assis.
Encantei-me.
Meu carinho
Samara Bassi

Í.ta** disse...

é maravilhoso isso. quando as palavras exigem-nos.

abraços

Daniela Delias disse...

Olhinhos rindo do lado de cá rs...

Mulher na Polícia disse...

Tem mesmo!
Palavrinhas levadas...

: )

Beijo pra vc poeta!

Eder Asa disse...

Se tem!

Jorge Pimenta disse...

só nas palavras a eternidade se faz breve: "para sempre um nunca mais"
abraço!

animalsentimental disse...

" a gente não consegue se despregar das palavras." E isto é parentesco de humano.