terça-feira, 19 de abril de 2011

558 - canção outonal para senhora de formoso arabesco

oh pastora que incendeia sonhos
de quantos rumos tece o rubro
que vestes e delineia tuas órbitas

oh pastora que incendeia sonhos
já fiz carpir os olhos de sol a sol
não há rio que não me habite saliva

oh pastora que incendeia sonhos
as fogueiras ardem em desalinho
e o cais é só poente e melancolia

22 comentários:

AC disse...

Impossível ficar indiferente ao seu talento.

Abraço

Wilson Torres Nanini disse...

Assis,

teus cantos são lição, meu caro! O "quê" profano com que subjuga o objeto apreciado é matéria de poesia da mais louvável.

Forte abraço!

Angélica Lins disse...

Poeticamente musical caro Assis.

Ecoou aqui.

Um cheiro!

Angélica Lins disse...

Poeticamente musical caro Assis.

Ecoou aqui.

Um cheiro!

Everson Russo disse...

Um canto de amor,,,de intenso querer...abraços de bom dia.

Joana Masen disse...

Poema de formosura rúbea!
Bjos!

Sam disse...

Fiquei a embalar-me, Assis.
Meu carinho,
Samara Bassi

Bípede Falante disse...

Oh Assis que incendia palavras!
bjs

Sandra disse...

Quase canção de embalar...

Wanderley Elian Lima disse...

Os sonhos vão além das possibilidades.
Abraço

Loba disse...

esta senhora de formoso arabesco não pode ser uma caçadora?

Sam. disse...

canção pra ninar a saudade...

MIRZE disse...

Assis!

Não me lembro como minha mãe falava do pastoreio, uma festa, ora divina ora profana no nordeste.
Mas pelo seu poema, a pastora tem poderes anormais.

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Luiza Maciel Nogueira disse...

belíssimo Assis, a cada dia surpreendes :)

beijos!

Ingrid disse...

intensidade a flor da pele!
beijo poeta..

Néia Lambert disse...

Intensamente poético!

Um abraço.

Úrsula Avner disse...

Olá poeta,

seus versos são deleite ! Grande abraço.

Sandra Botelho disse...

Pastoreamos o amor e ele nem sempre nos pastoreia.beijos achocolatados

Oria Allyahan disse...

Oh!, árcade, que belo canto fizeste ecoar! E a que Marília? Marília de Assis?!

O.A.

^^

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

e quem nao deseja uma pastora semantica como essa q nos quebre ao meio o tédio

Zélia Guardiano disse...

...e o cais é só poente e melancolia...
Ai, Assis...
Lindeza!
Abraço, querido!

Rejane Martins disse...

...tem vez que eu passo por aqui e saio emocionada, como agora.