sexta-feira, 22 de abril de 2011

561 - sobre a retórica, o eufemismo e a persuasão

eu tenho tantas leituras inacabadas
tantos projetos por concluir
sou uma redoma de fragmentos
sob meus pés jaz uma terra devastada
o outono é sinfonia sem pranto
o hábito não escolhe o cachimbo
as pontes ruíram em meio às tempestades
um coração sem trono desmorona
na paisagem agreste do meu peito
o que se acumula é o vazio incessante
que corrói a palavra
os verbos já não significam
a derradeira porta conduz a vertigem
e sobressalto
as sementes germinam mansidão
e as auroras são presságio de intempéries
nada há e nada avulta
a não ser este silencio
que se entranha nas retinas e
faz morada na cavidade das horas

17 comentários:

Everson Russo disse...

A vida e seus caminhos sempre serão inacabados,,,sempre teremos algo por fazer ou escrever...abraços de bom feriado pra ti.

Sam disse...

sangrei-me
numa verborragia
anticoagulante
e antídota pra dias
sem vírgulas.

Meu carinho, Assis.
Feliz Pascoa.
Samara Bassi

valeria soares disse...

"eu tenho tantas leituras inacabadas/tantos projetos por concluir..."

Eu também!
Gostei muito daqui. Volto sempre.

Boa Páscoa!

Raquel Amarante disse...

Oh! Não me lembre disso..

teca disse...

Inacabada, mas não impossível!
Não desista...

Um beijo enorme!
Boa Páscoa!

( ),,( )
(=':'=)
(,,)♥(,,)

MIRZE disse...

ASSIS!

Nada como um silêncio sepulcral para germinar seus belos poemas!

Beijos, Poeta MIL!

Feliz Páscoa!

Mirze

Daniela Delias disse...

Ah, esse outono no peito...

Sonhadora disse...

No silêncio das palavras moram todos os gritos de Outono.

Páscoa Feliz

Um beijo
Sonhadora

Oria Allyahan disse...

"Vamos, não chores! A infância está perdida, a mocidade está perdida, mas a vida não se perdeu (...) O coração continua (...) Dorme, meu filho!"

Imersa em persuasão fiquei!

^^

Eder Asa disse...

É... a vida é sempre incompleta, felizmente. Mas veja só, tudo não passa de mera retórica, concordo.

Jorge Pimenta disse...

a incompletude é a força motriz da verdadeira demanda; quem persegue, segue e não cega.
abraço!

Ingrid disse...

nos deixar no tempo de cada palavra..
de cada gesto..
tudo vem..
beijo poeta querido e uma Páscoa de bençãos e paz

Lara Amaral disse...

Intensamente melodioso, e verdadeiro!

Beijo.

Anna Amorim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anna Amorim disse...

Caro amigo poeta,

Pura identificação!
Ler assim meus sentimentos na voz-letra de um outro, me deixou sem palavras, cem metáforas a circular entre os espaços vazios entre minha existência e não existência.

Ler-te(me)encantou!

Espelho da alma!

Abraço forte,

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

eu q estou em tantas coisas inacabadas, sobre tudo leituras
me vejo nestas linhas

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

eu q estou em tantas coisas inacabadas, sobre tudo leituras
me vejo nestas linhas