sábado, 9 de abril de 2011

548 - Metapoema para conhaque e lua cheia

A palavra tem destino de crisálida
Coisa latente em véspera de ebulição
Assim me dizias enquanto havia vento
E teu voo era a extensão do meu peito
Mãos belicosas me ocorriam no olhar

17 comentários:

Vais disse...

Ei, Assis,
moço, que coisa mais linda:
"E teu voo era a extensão do meu peito"

beijo

Wanderley Elian Lima disse...

Palavras o vento leva, sentimentos o coração guarda eternamente.
Abraço

Everson Russo disse...

Que essas palavras sejam levadas longe...ao coração..abraços de bom sabado..

Celso Mendes disse...

"Eu não devia te dizer
mas essa lua
mas esse conhaque
botam a gente comovido como o diabo."

Nada como o bom e velho Drummond para inspirar. Belo, belo!

Abraço!

Eder Asa disse...

Eu acho que até devia te dizer, mas você já sabe rs

A pena é que sempre arranjo tempo para vir aqui (todos os dias), mas nem sempre pra comentar... Essa tal de faculdade rsrsrs
Abraço!

Jorge Pimenta disse...

deixei de acreditar na voz do vento...
abraço, amigo-poeta!

Van disse...

... e o conhaque esquenta e a lua brilha

Fred Caju disse...

E assim as palavras acham sua casa em seu metapoema.

Bípede Falante disse...

Esses voos que acontecem por dentro...

teca disse...

Um rebuliço dentro do peito...

Beijo.

Eurico disse...

Toda palavra tem esse alado destino, mesmo que ápteras...

Te deixo um fraterno abraço, cada vez mais ad-mirador do que escreves, Poeta.

Raíz disse...

ASSIS!

Fosse crisálida ou larva e o metapoema seria assim: conhaque e lua cheia.

D+++++++


Beijos, poeta MIL!

Mirze

Úrsula Avner disse...

Olá poeta, encantador lirismo em seus versos... Lindo poema como de costume. Um abraço.

Zélia Guardiano disse...

Assis, meu querido poeta
A palavra levada pelo vento,
vapor d'alma ...
Abraço.

Ingrid disse...

Assis,
palavras que eclodem..
lua cheia ..
imagem que me leva..
beijos poeta!

Lívia Azzi disse...

A palavra certa entorpece!

;-)

dade amorim disse...

Toda palavra tem destino de crisálida.
Lindo, Assis.