quarta-feira, 13 de abril de 2011

552 - para as nuvens de Lelena e a goiabada de Nina

tens para mim o sentimento dos desamparados
a inquieta embriaguez de lua e madrugada
o passadiço de cordas nesse teu peito
as brumas que afligem o alvorecer

tens para mim o pranto dos desavisados
o prato do dia que cheira a fastio
o incomodo pigarro a castigar o silencio
a intempérie do mar infestado de vazios

tens para mim o colo dos sem rumo
a canção e o sumarento copo de café
a inolvidável letra para bordar a pele
o vestígio de luz que emana da estrela

20 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Ah, Assis
A inolvidável letra para bordar a pele...
Pensei em tatuagem de letras escarlates: você me põe asas!
Abraço, amigo, grande poeta.

Everson Russo disse...

Tens pra mim o sentimento que provoca inquietude em minha alma,,,abraços de bom dia...

Bípede Falante disse...

Assis, nuvens com goiabada têm um sabor para se mesclar com o lado de dentro, têm o sabor de transformar as palavras em gestos.
Adorei o poema :)
Obrigada.
beijo.
Lelena

Wanderley Elian Lima disse...

Tem por você um grande amor camuflado.
Grande abraço

Batom e poesias disse...

Você escreve de um jeito...
Põe poesia em tudo, até no pigarro.
:)

Adoro.
bj
Rossana

Marcantonio disse...

Você uniu na mesma dedicatória dois extremos geográficos, duas formas diversas de ver o mundo, ambas através da poesia.

O poema tem imagens excepcionais, como:

"o prato do dia que cheira a fastio"

ou

"tens para mim o colo dos sem rumo".

Belo.

Abração.

Ps. Não consigo chamar a Bípede de Lelena... Helena Nuvem.

Ribeiro Pedreira disse...

"o incômodo pigarro a castigar o silêncio"

levo comigo esta imagem de presente ao meu pigarro.

Ana SS disse...

ler seus escritos
dá me vontade de escrever

Úrsula Avner disse...

Olá poeta,
rica construção com lindas imagens poéticas. Amei ! Grande abraço.

nina rizzi disse...

ó, camarada-querido, mas que coisa mais rica pra me ganhar o hoje e amanhã :)

te beijo, porque não é das goiabadas, mas das nuvens, que coleciono todas.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Assis hoje me identifico com esses versos tão profundamente que quase uma lágrima me visita :)

beijos

Van disse...

São poucos poetas como você, bem poucos

Beijos!

José Sousa disse...

Olá amigo Assis Freitas!
É a primeira vez que venho até aqui. Adoro poesia, também tenho um blog só de poemas, mas gostaria de o convidar a ser meu seguidor lá no meu "Transpondo Barreiras".

Um abraço.

Raíz disse...

ASSIS!

SENSACIONAL!

"o vestígio de luz que emana da estrela"

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Eurico disse...

o universo todo se estreita e tem de atravessar o peito de um poeta... alguém deve ter dito isso.
mas o poeta é um entroncamento de fluxos, de súbitas lembranças e sinapses ativadas por cheiros, ruídos e sabores... se ninguém disse isso, digo eu. rsrsrs

Abraço fra/terno

Um poema como esse vale por mil convites pra conhecer Feira...
Mas não a de Sant'ana, com todo o respeito, mas conhecer a Feira de Assis Freitas.
Deixo brisa pras nuvens de Lelena e goiabas maduras pros doces de Nina.

Outro abraço, Poeta.

dade amorim disse...

Nuvens e goiabada devem estar encantadas.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Ah Assis, que coisa, tem pedras no sapato que os pés não podem caminhar sem elas...entendo perfeitamente.

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

Tens para mim a poesia pura!

beijos meu amigo...

Ingrid disse...

és tudo no tudo que escreves Assis..
beijos.

Tania regina Contreiras disse...

Maravilha, assis!
Beijos,