sexta-feira, 17 de junho de 2011

617 - Poema de invenção para prosa de Zappa

assim zarpam os barcos para os naufrágios,
eu me afogo em livros e coxas

13 comentários:

Rosi Alves... disse...

bom dia...amei a frase!

Ribeiro Pedreira disse...

fetiches bibliotecários...

Wanderley Elian Lima disse...

Cada um escolhe a sua morte.
Abraço

Jorge Pimenta disse...

nenhum barco conhece o mar sem pensar no naufrágio. e como os há tão desejados...
um abraço, amigo-poeta!
p.s. zappa é (como se diz por cá) uma pica!

Eder Asa disse...

Com direito a respiração boca-a-boca?

Everson Russo disse...

Naufrágios de almas em versos...abraços de bom final de semana.

MIRZE disse...

SEI! Muito real, Legal!

Beijos

Mirze

.maria andrade vieira. disse...

ah! queria eu, queria eu...

Catia Bosso disse...

Adoro as coxas. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk



bj

Sandra Botelho disse...

Prefiro o seu afogar...kkkk
beijos achocolatados

Ingrid disse...

em delícias..
beijo Assis..

Ira Buscacio disse...

Cada um sabe onde é melhor morrer!
Bj

dade amorim disse...

Muitos são os naufrágios desta vida.
Beijo beijo.