quarta-feira, 29 de junho de 2011

629 - Sobre a urgência e o repentino dos vossos passos (versão sucinta)

Pertence ao repentino uma florada de lilases
Pertence a urgência o desatino do caminhar
Aos olhos pertencem a impaciência e o limo
Pois é de apascentar a visão que floram rios

13 comentários:

Ingrid disse...

irrigas meus olhos e sentidos..apenas com teu caminhar..
beijos perfumados..

Wanderley Elian Lima disse...

Pertence ao urgente, a necessidade de amar.
Abraço

Everson Russo disse...

Caminhar em desatino em busca das melhores cores da vida...abraços de boa tarde pra ti amigo.

Lua Nova disse...

Teus versos, meu poeta, são como repentinas floradas de lilases saciando a necessidade urgente de beleza de que sofre minha alma.

Estive off, poeta, e uma de minhas saudades era a de vir aqui.

Valeu a expectativa. Como sempre.

Desta sua admiradora.

Beijokas e saudades.

LauraAlberto disse...

a quem diga, ter o coração perto da boca
Beijo
LauraAlberto

Lara Amaral disse...

Musical, lindo!

Beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

lembrou me Quintana em sua poesia "Que tristes os caminhos se não fora/ a mágica presença das estrelas"

beijos

Cris de Souza disse...

pertence
aos rios
os líquidos
efeitos
à margem
de nós mesmos?

...

beijo curioso, mestre!

notinha: ri contigo na válvula, gosto de te sentir levinho.

Daniela Delias disse...

Que bonito! Acabo de vir da leitura de "Des(a)tino" da Lara, e aqui encontro o teu! Tenho urgência dos versos de ambos! Beijão!

Everson Russo disse...

Uma otima quinta feira pra ti meu amigo poeta...abraços.

Celso Mendes disse...

sucinta urgência de repentina poesia. e que poesia!

abraço!

Jorge Pimenta disse...

há urgências que se tornam máximas para tocarmos a serenidade... ainda que mínima.
abraço!

dade amorim disse...

Urgências que não dá para remover ou adiar. É assim.