quarta-feira, 1 de junho de 2011

601 - Litania desmesurada ao cativo dos teus braços

Oh rosto meu que de ti ouviu sorrisos
Qual ao léu em brumas conteve os cismos
Cujo infante singrando nau em teus mares
Fez desabalar o giro do tempo no encalço

Oh rosto meu que de ti ouviu sorrisos
Qual ao léu em brumas conteve os cismos
Se vencido ou dominado não importa o crivo
Sob as calhas da razão dói mais o esquecido

20 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Alá Assis
Um tanto surreal, mas bonito.
Abraço

Luiza Maciel Nogueira disse...

Inaugurando novas imagens, novos sorrisos. Espetáculo Assis. Bjs

dani carrara disse...

será que não entender algo é guardar em algum lugar?

esqueço até minha cabeça,

bjo.

Everson Russo disse...

Oh rosto meu, perdido nos encantamentos do amor...abraços de bom dia...

Rejane Martins disse...

Reza a lenda, Assis, que tua poesia salvaguarda afetos, tempo e graça.
Nela há braços :)

Ira Buscacio disse...

Assis querido,
gosto imenso desses momentos avassaladores!
Bj

Eder Asa disse...

O melhor de seus poemas é que a leitura nunca é repetitiva. Mais que isso, ler uma vez só não basta...

Rostos que ouvem sorrisos... Excelente!
Abraço!

Ingrid disse...

que delícia!..
"Fez desabalar o giro do tempo no encalço.."
beijo poeta..

Lara Amaral disse...

Dói sempre esse tempo que passa, mas não inova a saudade, só renova.

Esplêndido, poeta!

Oria Allyahan disse...

Desmensurada é mesmo a inquietação tua, Assis; daí é que vem a litania.

Belos versos

Abs.

^^

MIRZE disse...

ASSIS!

Um soneto como nunca antes, li.

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Jorge Pimenta disse...

assis,
há algo de camoniano nestas tuas apóstrofes. eis que o génio chega ao olimpo dos poetas!
um abraço com admiração!

Catia Bosso disse...

Que beleza de poema!
Encantada!


Voltarei mais vezes!

Bj

Catita

Catia Bosso disse...

Estamos a 400 poemas da sua meta... que chic e envolvente...quero fazer parte dos 400 comentarios que virão... com muita honra, seu moço!
Bela empreitada...

bj

Catita

"Voando com Borboletas" disse...

Assis...
Que belo poema... incrivelmente belo!
Foi muito bom ter chegado até aqui. Viajei em tuas palavras, e renovei minha alma.
Obrigada!
Querido, venha me visitar também, será um enorme prazer!
Bjs
Borboleta

Adriana Karnal disse...

vc é lírico...desses que a gente nem acreditava que existiam mais....adoro essa poesia.

Bípede Falante disse...

Assis, sabe, você é mesmo louco (em um bom sentido). Como alguém consegue escrever 601 poemas um atrás do outro, como quem leva um pé atrás do outro quando caminha?
E consegue sem tropeçar, sem perder o equilíbrio, o balanço. Eu, hein! :) Quem me dera!!!
beijoss

LauraAlberto disse...

às vezes queria não ter memória e conseguir esquecer, mas acabamos por navegar na nau que é o teu poema
Beijo
LauraAlberto

Cris de Souza disse...

tu és raridade, assis, por essa e tantas e tantas e tantas te admiro.

beijo, mestre!

dade amorim disse...

De títulos e versos, tudo um prazer de ler.
Beijo.