segunda-feira, 27 de junho de 2011

627 - poema de feitio para senhora da tarde

alguns fantasmas me rodeiam
perambulam em interrogações
como quando só tu me avistavas

de feitio abstrato vinhas em valsa
ao sabor do tempero das palavras
dançavas ao exercício da sintaxe

eras flor no arrepio de lua e aurora

15 comentários:

LauraAlberto disse...

senti uma mão gelada que me percorreu as costas!
Beijo
Laura

Eurico disse...

Eras, Senhora, a Poesia em pessoa.

Abç fraterno.

Úrsula Avner disse...

OLá poeta,

os fantasmas sempre nos rondam mesmo...Bonitas metáforas. Bj.

Everson Russo disse...

Fantasmas que perambulam pelos nossos caminhos...abraços de bom dia.

Sandra Botelho disse...

E quando era flor, o orvalho sempre lhe molhava a boca e suavizava o dia...
beijos achocolatados

Luiza Maciel Nogueira disse...

fantasmas em flor, lindo Assis, não me canso de ler

beijos

Ira Buscacio disse...

Senhora, dona de tudo!
Bjão, Assis querido

Lara Amaral disse...

Aqui, perambulo em exclamações, e como te vejo! =)

Ma Ferreira disse...

Lindas metáforas... poema saudade!!

bj

MA ferreira

Ana Morais disse...

Tua poesia me causou arrepio. Não descanso sem te ler, poeta.

Wanderley Elian Lima disse...

Lembranças, são como fantasmas a atormentarem nossas vidas.
Abraço

dade amorim disse...

Um poema dedicado à inspiração, seja ela quem for. E muito muito bonito.

Beijos.

Daniela Delias disse...

Arrepio...

Ingrid disse...

noites de verbo e amor..
beijos querido poeta..

Bípede Falante disse...

Dou-me mal com fantasmas...
Mas eles me adoram!! :)