sexta-feira, 24 de junho de 2011

624 - Poema de resina e cristal para distorção ótica II

O teu olho percuciente me consome de caos
Fito desejando cílio, sobrecenho, supercílio
Ornada de pelos a vulva altaneira desliza ilesa
Da face à tona circunscreve rebento movimento

15 comentários:

Lua Nova disse...

Estava com saudades desse jogo poético e intricado das tuas palavras. Como se sobrevive sem poesia?
Acho que vive-se da lembrança dela e da perspectiva dela. Eu vivi assim.
De qq modo e já que somente o tempo avança sobre tudo, quero a poesia mas não como passatempo. Ela é a ponte entre meus amigos blogueiros e eu. Que bom estar de volta.

Beijokas, poeta.

Analuz disse...

Tive oportunidade de ver 'em câmera lenta' o movimento dos cílios no fechar de olhos... é altamente inspiradora a sensualidade do momento...

Beijinho de fim de semana,poeta Assis!

Everson Russo disse...

Um penetrante olhar de versos...abraços de bom final de semana.

MIRZE disse...

Meus olhos distorceram.

Maravilha!

Beijo

Mirze

Katrina disse...

todos os olhos

adiministrador disse...

Caro Assis, voce foi indicado pela Jenifer do blog penetra surdamente no reino das palavras, para uma entrevista no meu blog chamado:
www.mundo-doscomentarios.blogspot.com e gostaria de saber se voce estaria interessado em participar? Quiasquer quer sejam as duvidas entre no meu blog e veja o marcador teia de blogs.Grato Adiministrador.

Cris de Souza disse...

troco de ângulo e a visão permanece.

coisa de doido!

beijo, mestre.

teca disse...

Você descreve em versos o que lentamente parece sentir... que mágico!

Um beijo enorme, poeta.

Wanderley Elian Lima disse...

Puro desejo.
Abraço

Ira Buscacio disse...

Olho gordo na sedução
Bj, querido

dade amorim disse...

Incrível, Assis.
Beijo beijo.

Catia Bosso disse...

Rebento que constrói ....ou destrói!

Lara Amaral disse...

Uau! O poema já me pegou de jeito desde o título!

Jorge Pimenta disse...

nada na tua poética é aleatório ou circunstanciado. todos os signos e todos os símbolos convergem numa linguagem de pupilas em desconcertante bailado lírico.
abraço!

Ingrid disse...

linda distorção de sedução..
beijos Assis..
sempre carinho meu..