domingo, 3 de julho de 2011

633 - sobre o conteúdo da fala sob o céu do palato

quando digo pássaro anuncio um ímpeto
desperto o sentido primevo da anunciação
faço o vício de asas ocupar-se do encanto

quando digo pássaro inauguro a intempérie
escuto o ouriço ruflar-se em vagas de mar
destino em vendaval o emaranhado da voz

quando digo pássaro silencio outros gritos
deixo perplexo o assovio que sibila no monte
enfim defenestro a contenda do impossível

15 comentários:

Angélica Lins disse...

Minhas asas já estão viciadas em voar para cá.
Beijo querido!

Everson Russo disse...

Pássaro de voo livre ao infinito dos sentimentos...abraços de boa semana.

Rubeneide disse...

"Ouvindo":pássaro c/ teu "tímbre" tenho ímpeto de atirar pela janela,"a contenda do impossível"
para que com asas viciadas,ocupar-me sempre do encante de "ouvir-te"
c/carinho

Jorge Pimenta disse...

perco-me no título... despenho-me no texto...
nem as asas me valeriam no céu impossível do palato...
abraço!

MIRZE disse...

Assis!

Maravilhoso pássaro que determina estes "sentires".

Beijo

Mirze

Analuz disse...

Neste céu eu acredito...

Beijinho de domingo, poeta Assis!

Insana disse...

lindo poema. umm grito calado...

bjs Insana

Cris de Souza disse...

ah, assis! isso tá demais...

-perdidamente encantada-

Celso Mendes disse...

sob o céu do palato palavras-pássaro defenestram coisas impossíveis em bocas dos verdadeiros poetas em seu ofício.

abraço!

Daniela Delias disse...

Quando dizes pássaro minhas asinhas tomam conta rs. Bjo!

Lara Amaral disse...

Tudo o que dizes faz-se cumprido na sua poesia, magia de escrita.

Beijo, querido.

nina rizzi disse...

"e eu te amo, como se ama um passarinho morto"

Ingrid disse...

palavra que sente o infinito do teu versar..
céus!!
beijo querido

dade amorim disse...

Pássaro é isso tudo que você diz.
Tudo verdade.
Um beijo.

dani carrara disse...

Depois que li o poema, no domingo, fui pra janela olhar os passarinhos,

uns voavam sufocados pelo vento, em redenção, outros planavam como se fossem plumas de si mesmos.

bjo.

mas palato não sei o que ainda