domingo, 17 de julho de 2011

647 - cantiga de predição para encontro de córrego e arroio


há um poema que eu persigo
até ele se engendrar perfeito
como um adágio de mahler
como aqueles campos de girassóis
embalsamando a orelha de van gogh
há um poema que eu persigo
e se repete em árias e se faz dissoluto
que se doa e que foge e quer alcançar
as vielas de nuvens que abrem o céu
há um poema que eu persigo
para o instante derradeiro de remissão
afogar meu isolamento de dicionário

18 comentários:

Por que você faz poema? disse...

Há um poema que me persegue,
mas ele nunca alcançará minha pena e papel.

Analuz disse...

Há versos que mal nascem já querem nos fugir...

Beijinho de domingo ensolarado, poeta Assis!

MIRZE disse...

ASSIS!

Todos os seus poemas são maravilhosos. Atiçou minha curiosidade esse poema "como um adágio de Mahler"

Belíssimo!

Beijo,poeta!

Mirze

Angélica Lins disse...

Ahh querido poeta...Sempre teces meu coração com os fios de serenidade das tuas letras.

Deixo-te cheiros...

Van disse...

Antes de ser escrito o poema vive em nós, e realmente, alguns não saem de lá, mesmo depois de expulso pelas letras...sempre voltam.

Beijos Assis!

Everson Russo disse...

Nós perseguimos os poemas, os poemas nos perseguem,,,e assim vamos moldando versos...abraços de boa semana pra ti amigo.

Ingrid disse...

a plenitude das palavras..
o encontro da alma e das letras..
beijos querido poeta..

Adriana Godoy disse...

Talvez quando vc chegar ao milésimo poema tenha encontrado...mas aí não teria sentido essa busca. Beijo

Lídia Borges disse...

Esse poema fugidio tem o dom de fazer acontecer ao poeta uma poesia cada vez mais próxima dos deuses.

Um beijo

dade amorim disse...

Chegando ao adágio de Mahler, falta pouco.

Beijo, Assis

Luiza Maciel Nogueira disse...

ah Assis junta Van Gogh e você e eu me apaixono por cada palavra. Beijos

Daniela Delias disse...

Enquanto vc persegue o poema seguimos aqui no deleite!!! Bjinho!

Nilson disse...

Há um poema que só escreverei numa próxima encarnação.

M.C.L.M disse...

"as vielas de nuvens que abrem o céu..." Lindo!!

bj.

Í.ta** disse...

perseguir poema é sina.

abraços

Cris de Souza disse...

há um poema que eu persigo:
signo do prazer.

Eurico disse...

Fluir com àguas, pois tudo flui e estar todo água, ser-água, nesse encontro, esse é o ponto do adágio.


Abraço fraterno, Poeta.

Rejane Martins disse...

A beleza do poema - a procura do verso integral - da beleza integral ...é muito bonito!
É o que há de precioso nos girassóis do Van Gogh e na dedicação última de Mahler [inteiramente na composição do Adágio, único andamento acabado da Décima Sinfonia].

E Saint-Saëns é muito bom mesmo! ...um dos meus preferidos.