terça-feira, 12 de julho de 2011

642 - poema de açoite para pasto encantado

a minha face ornada de equívocos
e eu oro desordenado
pela presteza da palavra

separo sépala, corola, cálice
cultivo no jardim inconsequências
e eu ouro depreciado

há sinais de poeira na dobra da fala
cala a gramática em redoma delicada
já posso ser projétil de toscas rimas

* A Cris me fez uma delicadeza (não tenho adjetivos para a emoção) sem par no Trem da Lira

15 comentários:

Sandra Botelho disse...

jamais serão toscas suas rimas Bjos achocolatados

Everson Russo disse...

Se há poeira na dobra da fala, é porque ela se calou por algum tempo...abraços de bom dia pra ti amigo...

Luiza Maciel Nogueira disse...

Rimas cheias de orquestras Assis, todas as suas! Bjs

Celso Mendes disse...

As palavras se resolvem poema como mágica. O encanto da poesia mais uma vez se manifesta.

abraço!

Oria Allyahan disse...

Ah, essas palavras! Elas vêm e nos tomam o sentido, atropelam o pensamento... uma verdadeira surra de encantos! Não há como fugir! Não há por que fugir!

Adoro metapoemías! (e neologismos)

O.A.

^^

MIRZE disse...

Assis!

Esse eu leio rezando. Lindo demais!

Beijo, poeta!

Mirze

Bípede Falante disse...

O açoite tem mil vestes, mil silêncios e infinitas palavras.
beijoss

Smareis disse...

Lindo poema, com nostalgia na dobra da fala, adorei. Parabéns, amei ler um pouco teus poema.Estarei por aqui te seguindo... Um Abraço, e estarei voltando muitas vezes.

Rejane Martins disse...

Teus poemas, Assis, têm expressão substantiva; de açoite, a palavra cala e comove.

.maria andrade vieira. disse...

terá sempre o nosso alvará. beijo.

Lara Amaral disse...

Projétil ou dardo, lança a palavra.

Beijo.

Analuz disse...

Poema bem talhado...

Beijinho com encanto, poeta Assis!

dade amorim disse...

Sempre tão bom vir ler teus poemas, Assis!
Beijo.

Vais disse...

Olá, Assis,
moço, primeiro comento sobre a delicadeza da Cris, coisa mais linda, minhas muitas admirações a vocês.

fiquei neste verso
"há sinais de poeira na dobra da fala"

640 - belo, belo e que o encontro não cesse de florar

637 - é de alumbrar
"sob a capa de uma estrela respinga meu suor"

beijo e saudações pra você em todas as línguas e gestos

Ingrid disse...

atiras letras em pensar e viver..
acertas direto no encantamento dos sentidos..
beijos perfumados