quinta-feira, 6 de outubro de 2011

728 - dicionário mínimo para entornar alvoroços

VII

Aos acordes destemperados da solidão
Vazei os meus olhos em teus espinhos
Tinhas a incongruência do mandacaru

Para oferecer o fruto há o crivo da dor
Para provar néctar há sangue na saliva
Para seca do corpo há o viço benfazejo

8 comentários:

Everson Russo disse...

Essa dor que provoca a solidão ao mesmo tempo é insana e inspira...abraços de bom dia pra ti.

teca disse...

Dor que sufoca, mas não mata!

Um beijo imenso.

Jorge Pimenta disse...

a dor que se sente ou a dor que se julga sentir. entre uma e outra, todo o néctar e o veneno, todo o fruto e sua larva, todas as promessas e vento... muito vento, e cabelos sem fralda ou alinhavo.
abraço, poeta conhecedor do imenso dicionário dos homens!

Lua Nova disse...

O crivo da dor intensifica o sabor da vida.
Beijokas, poeta... 728! Vai dar livro... e daqueles de se ler com a alma e saborear com o coração.

MIRZE disse...

O mandacaru é o amor personificado.
Difícil!

Beijo


Mirze

dade amorim disse...

Sim, tudo se mistura na solidão. Nada é mais incongruente que a solidão.

Beijo beijo, Assis.

Daniela Delias disse...

"Vazei os meus olhos em teus espinhos...". Só queria repetir. É belo.
Um beijão!

Ingrid disse...

sempre a vida e o viver..
faz bem!
beijos poeta..