quinta-feira, 20 de outubro de 2011

742 - poema de solércia para arauto de proclamação

há um poema que não esqueço
e que se repete em todos os versos
regurgita na órbita das palavras
é parágrafo, intersecção, seguimento
há um poema que não esqueço
que se impregna nas retinas
como aquela nuvem distraída
no silêncio das antemanhãs

19 comentários:

Everson Russo disse...

É o poema que aflige a alma,,,que toca a paz do coração...abraços de bom dia.

M.C.L.M disse...

"como aquela nuvem distraída, no silêncio..." Belo!!

bj.

MIRZE disse...

Bela proclamação para arautos.

O poema é a nuvem distraída.

Maravilha!

Parabéns pelo dia do POETA!

Beijos

Mirze

Joana Masen disse...

há poemas que não esquecemos nunca... alguns deles estão por aqui!
bjo!

Zélia Guardiano disse...

Poema entremeado nas dobras do espírito... Sei como é isso, meu querido...
Abraço, Assis!

Sandra Botelho disse...

Há um poema que encanta, que apaixona...Há um poema que eu vim aqui ler. E Li. Bjos achocolatados

José Sousa disse...

Amigo Axis!
Lindo este seu poema! Bem rimado.

Um grande abraço.

PS. Vou ler os poemas que deixei para táz por motivos de doença.

Mulher na Polícia disse...

Ah, então é isso?!

Também tenho um poema que me persegue!

: )

Um doce teu poema.
Beijo!

dade amorim disse...

Há poemas assim. Acho que é por causa deles que escrevemos todos os outros.

Beijo Assis.

Jorge Pimenta disse...

"há um poema que não esqueço"
adivinho-o tão longe das palavras...
abraço, assis!

Lau Milesi disse...

Eu também, poeta Assis.
...aquela nuvem distraída
no silêncio das antemanhãs ...
Lindo d +, d+...

...merece uma tatuagem.

Um beijo pra você pelo Dia do Poeta.

Lau Milesi disse...

Retificando: "há poemas que também não esqueço, poeta Assis".Sorry:)

Bípede Falante disse...

nuvem distraída daria um bom título para algo que ando a escrever :)
beijosss

Luiza disse...

esse poema parece de um silêncio profundo

beijos

Andrea de Godoy Neto disse...

o que não se esquece e nunca se diz...

beijo

Daniela Delias disse...

Há sempre um poema que se repete, penso tanto nisso...às vezes tenho a impressão de que digo sempre a mesma coisa enquanto tenho a ilusão de ter feito novos versos rs...
Muito, muito lindo...
Bjos!

Ingrid disse...

olhar e amanhecer nele..
beijos poeta..

Cris de Souza disse...

Bem lembrado!

Eder Asa disse...

Há poemas que não esqueço, a despeito da força do plural.
Assis, faz tanto tempo que não venho aqui... decidi ficar a tarde toda.