terça-feira, 25 de outubro de 2011

747 - canto de insolência para foice e madrepérolas

estou fazendo exercícios para te esquecer
essas coisas de correr e deixar o corpo suar
quem sabe o amor se dissipe pelos poros
quem sabe nas flexões os músculos se libertem
e tudo volte a antiga rotina
quando havia segredos em outras peles
e eu buscava na saliva a sagração do tempo
quando ornava os lábios de fumaça
e fazia sacrifício a todos os deuses líquidos
hoje urge uma insanidade de ausências
nem a ubiquidade dos girassóis me conforta

14 comentários:

Luiza disse...

Espetacular Assis, fico com esse último verso como que ecoando cá dentro "nem a ubiquidade dos girassóis me conforta", Lembrei demais do quadro do Van Gogh. :)

Beijo

Tania regina Contreiras disse...

Garoto, são sempre dois poemas que você traz: os títulos são uma maravilha à parte! Gostei foi muito, também, desses deuses líquidos...
Beijos,
P.S. - Eu sei que tu comentou no Mínimo a entrevista, mas quero deixar teu registro no Roxo, copia e cola por lá, que tu é parte indispensável nessa "festa"!

Everson Russo disse...

Dificilmente se dissipará um amor impregnado na pele..abraços de bom dia pra ti amigo.

Bípede Falante disse...

Corre, Assis, Corre! rsrs
beijosss

MIRZE disse...

ASSIS!

Preciso aprender como são esses exercícios.

"nem a ubiquidade dos girassóis me conforta".

MARAVILHA!

beijo

Mirze

Lou Vilela disse...

É sempre um prazer ler teus versos!

Cheiro

Celso Mendes disse...

Sempre haverá segredo em outras peles. Mas às vezes nosso tato fica cego. A foice da paixão é o tempo, lá onde os olhares se perdem.

Belo, belo, poeta!

abraço.

Dario B. disse...

Belissimo, meu caro Assis, se fosse necessário eu assinaria embaixo. Forte abraço.

Daniela Delias disse...

Também ando enfeitiçada pelo tempo! Em um dia falei sobre as coisas que ele não toca (pode isso? rs...), no outro sobre o que toca e faz ruína...bonito ver aqui essa busca de um tempo em que "havia segredos em outras peles". Muito lindo mesmo!
Bjos!

Roberto Machado Alves disse...

Às vezes,só esquecendo para seguir em frente.
Gostei muito. Parabéns.

dade amorim disse...

não para não, melhor suar.
Bj

dani carrara disse...

e poemas também.
está afzendo poemas para esquecer, rs..

um beijo

Jorge Pimenta disse...

vida e vida!

Ingrid disse...

facetas de uma amor..
beijo querido..