sábado, 22 de outubro de 2011

744 - poema de dor e espanto diante da alteridade da lua

como um cão enfeitiçado uivo aos teus pés
és-me lua e lençóis
cobre-se a tua face de singular arredio
onde fincas a foice do assovio
dou-me costas para lanhar
dou-me braços para o vento
mas nenhuma ponte incita esta fuga

18 comentários:

Wilson Torres Nanini disse...

O desdém às pontes revela uma entrega espontânea. Há-de vir recompensa a tamanho enfrentamento!

Abraços!

teca disse...

O que sempre me impressiona quando venho aqui é a intensidade dos versos... ufffff!!!

Beijo...

Everson Russo disse...

Entre uivos e o luar a ânsia de amar...abraços de bom sábado.

Zélia Guardiano disse...

Oh, Assis, meu querido amigo, grande poeta... Nehuma ponte que se possa derrubar, depois da travessia...
Lindo demais!
Abraço da
Zélia

Ana Ribeiro disse...

A ausência da ponte não impede a metamorfose. Concorda, poeta?

Antonio Rubilar B. Valente disse...

Amigo Freitas,estou seguindo seu blog,gostei do que li.Se der,visite o meu tb, é bem legal.Abração!!!Rubi.
www.valentebrasil.blogspot.com

Berzé disse...

Miliuma! Soa bem.
Abração!
Berzé

MIRZE disse...

Nem a lua ficará indiferente à esse poema!

LINDO DEMAIS!

Beijo

Mirze

Bípede Falante disse...

Assis, só para te incomodar, vou perguntar se não são as mulheres quem gostam de apanhar? rsrs
beijoss

Eurico disse...

Entre a dor e o espanto, se encanta a poesia:
eis a foice que assovia...

Abç fraterno

Daniela Delias disse...

ô entrega...e ele fica!
Que bonito, Assis!
Bjão!

lis disse...

Em amor a entrega é resposta de intensos momentos vividos.
gosto Assis do espanto diante da lua rs
deixo abraços

Vais disse...

as pontes levam e trazem
se não nadamos o suficiente nem voamos, a ponte é um meio
a lua um feitiço
um uivo

um beijo

Domingos Sávio disse...

as pontes desabam
...


forte abraço,
irmão.

dani carrara disse...

tem cão que late e morde...

Roberto Machado Alves disse...

É a primeira vez que visito o seu blog de poesias. Quase sempre, visito blogs de fotografia mas, navega daqui, navega dali, cheguei ao seu.
Gostei muito do que li. O contéudo me tocou profundamente e, certamente, voltarei mais vezes.

Parabéns e um abraço.
Roberto

Ingrid disse...

e para que fugir...
beijo ..

dade amorim disse...

Cão enfeitiçado não fugirá jamais.