quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

51 - elegia tosca

venho de uma cidade sem vestes
despida por carmins e ciprestes

tão gentil com quem marca a pele
tão rude a quem lhe oferece grão

recuso abandoná-la em sua sina
de teimosia, perfídia e incesto

perdida em seus ofícios de pólis
no ventre vil do frio ostracismo

4 comentários:

Mai disse...

Assis, você escreve na sua pele, o suor, a terra e a sua poesia.
Impressiona-me a fertilidade de tua poética.

Abraços.

Anônimo disse...

Imagino-me a ouvir esse hino na voz
placida , como um domingo, de Carlos Pita.

nina rizzi disse...

eu me recusaria a abandonar sodoma, gomorra, babilônia... mas não me furtei de me evadir das fumaçarias...

Lavinia Andrill disse...

O prazer que tenho em viajar por estes teus poemas, incomensurável! Complemento deste prazer, são as leituras dos comentários desses teus seguidores, tão quanto, maravilhosos! Após o deleite de cada poema, deleito me com os comentários, pequenos poemas, também, e tão bem! Lavinia ANDRILL.