segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

77 - Ode para meus olhos

Às vezes uma chuva fina molha minha alma
Embala de lágrimas este peito tonto e febril
Que guarda o adeus e o visgo do teu espanto

2 comentários:

Mai disse...

É, as vezes chove ...

um abraço, poeta.
um carinho procê.
boas festas, Assis.
Obrigada por tua leitura e por tuas palavras.
foi bom ter te encontrado nessas andanças.
fica bem, amigo.

Karinne Santiago disse...

Choro-chuva e todo mais inunda...

Beijos!!!