quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

79 - (re)lance de dados

Foi de vento o soluço
Que soçobrou a boca
Foi de vazante a nau
Que o mal se insurgiu

Foi de canção o verso
Que a palavra contraiu
Foi de canto a ternura
Que fez a nua tessitura

Foi de relance um dado
Que se decidiu a labuta
Foi súbito o sobressalto
Que a ausência cumpriu

8 comentários:

nina rizzi disse...

a ausência me veste...
um beijo.

Hneto disse...

Que bom que Cinema chegou rápido, mais rápido que 2010. O Ulisses no Supermercado já foi devidamente devorado, depois comento com mais vagar, mas desde já afirmo que muito me agradou. Saudações.

Mai disse...

Querido Assis, aqui tu te desnudas e fazes amor com palavras e engravidas a poesia e fiat lux!
Incrível porque tudo é bem condensado é como os sonhos em Freud.

Beijo e bom 2010

Gerana Damulakis disse...

Vejo que vc não sofreu a pane que alguns blogs tiveram. Foi praticamente uma semana.
Hoje é só para desejar um feliz 2010. Voltarei para leitura atenta.
Abração, amigo Assis.

Moacy Cirne disse...

Oi,
no último Balaio do ano há um poema seu.
Boas entradas!

Abraços.

Gisele Freire disse...

Gosto deste tb, muito bom Assis!
Abraço
Gi

Anônimo disse...

Interessante ... não saber...

Anônimo disse...

sos