sexta-feira, 3 de setembro de 2010

326 - enquanto queima o silencio na lareira

eu preferia caminhar sobre
a fugacidade de algumas palavras

e apenas brindar a nossa nua pele
os nossos olhos de lesmas
que se demoram a encontrar

22 comentários:

Primeira Pessoa disse...

enquanto ardem os silêncios...
assis, perdoe o meu.

vortei! rs

belo poema.

beijão do

r.

Luiza disse...

Lindo poema Assis...
Bom fim de semana.
Beijo

Feeling what the other feels disse...

Assis, suas palavras em si, já embebedam, inebriam e entontecem. Dispensa brindes. A não ser que seja água para reidratar corpos nus, após longo e incomensurável esforço físico. Bom fim de semana pra ti. Bjs.

Zélia Guardiano disse...

Assis, meu querido
Para buscar a felicidade, somos sempre lesmas...
Já, para o sofrimento, azougues...
Abração, amigo!

Tania regina Contreiras disse...

Olhos de lesmas que demoram a encontrar-se: amei, Assis! Vou adotar a expressão, se me permite...
Beijos

nina rizzi disse...

olhos e corpo de lesma. que figura.
adorei :)
beijos.

Gerana Damulakis disse...

Gostei do inusitado.

Marcantonio disse...

Essas lesmas deixam um rastro brilhante para reconstituir o caminho do encontro.
Grande imagem!

Abração!

LauraAlberto disse...

mas acabamos presos a elas
beijo
Laura

Jorge Pimenta disse...

impossível caminhar sobre as palavras. elas não são o chão dos poetas; eles, sim, são o chão que as palavras pisam.
um forte e rastejante abraço!

Mirze Souza disse...

Perfeito e BELO!

Assis!

Que o brinde seja uma urgência!

Beijos

Mirze

Luiza Maciel Nogueira disse...

sincronia Assis, o silencio partilha a demora do encontro, olhos fugidios. Belo demais!

Beijos

Luiza Maciel Nogueira disse...

sincronia Assis, o silencio partilha a demora do encontro, olhos fugidios. Belo demais!

Beijos

Insana disse...

Cantar espanta o mal

bjs
Insana

Úrsula Avner disse...

Olá poeta,

sempre me encanto com suas metáforas e esse modo tão peculiar de poetizar... Um abraço e grata pelo constante carinho a mim dispensado.

Andrea de Godoy Neto disse...

assis, 'olhos de lesma' é genial e, infelizmente mais comuns do que gostaríamos....

poema lindo!

beijo

Lívia Azzi disse...

Intenso:

"e apenas brindar a nossa nua pele"

Não há palavras que atinjam a linguagem corporal estabelecida pela percepção sensorial.

Um beijo e um excelente final de semana!

teca disse...

Um encanto... uma cena louvável em versos...

Beijos.

Lara Amaral disse...

Enquanto isso, a palavra aproxima os corpos, chega perto.

Beijo.

líria porto disse...

o título já é um poema completo - vim, li, reli e gostei!
besos

Cris de Souza disse...

Belíssimo!

" Nessa espera, o mundo gira em linhas tortas..."

Beijossssssss.

Lau Milesi disse...

Lindo!
Um abraço