quarta-feira, 1 de setembro de 2010

324 - Suíte para o dorso da manhã


Verga-me em vestes a língua
No chão todo feito de esporas
Não resisto: cavalga-me a palavra

27 comentários:

Everson Russo disse...

Que essa palavra cavalgue em amor por longos caminhos...abraços.

Wilson Torres Nanini disse...

Assis,

a palavra não só te cavalga: ela te habita.

Abraços!

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

leite, linguas e esporas sempre foram coisas boas de se cavalgar mesmo que em palavras
-Obrigado pelo livro, chegou hoje

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

leite, linguas e esporas sempre foram coisas boas de se cavalgar mesmo que em palavras
-Obrigado pelo livro, chegou hoje

Feeling what the other feels disse...

Não resista mesmo, e continue nos presenteando com este belo dom das palavras, que sabes e demonstra que tens. Tenha um ótimo dia. Bjs.

Lau Milesi disse...

Que esse cavalgar continue por essa "imensidão" do seu talento, poeta. Parabéns!!!
Um beijo e bom dia!

Mai disse...

A estética é perfeita e os sons são divinos. O dorso? Ah! O gozo é uma palavra que dissolve na língua. No fundo, o sumo do poema, é a luz sobre um belo animal.

Uma pintura de poema!
Ouvi ao som de Mozart 23.
belíssimo Assis, belíssimo.

Gerana Damulakis disse...

A relação com a palavra é, inclusive, erótica. Está certíssimo.

Í.ta** disse...

e como não pegá-la e acompanhá-la, não é mesmo?

há convite para haicais lá no um-sentir, assis.

grande abraço!

Luiza Maciel Nogueira disse...

aqui aprendo tanto de português, quanto de imagens poéticas e a imaginação rola a solta. Tão bom Assis! Grata querido!

Beijo

Zélia Guardiano disse...

Assis, Assis...
De onde vem isso tudo?
Milagreiro, você!
Nunca erra (para nosso deleite...)!
Eu te admiro cada vez mais...
Enorme abraço!!!

Mirze Souza disse...

Lindo demais, Assis!

Num feliz dorso da manhã, a língua em vestes, o chão em esporas, e a palavra no mais belo animal, veio para aqui.

Belíssimo!

Beijos

Mirze

Oria Allyahan disse...

Um cavalo alado
trouxe até mim
os mais belos versos
em suas níveas asas!

Grande abraço!

^^

ErikaH Azzevedo disse...

A palavra enlouquece.
A palavra enlou(cresce)
Tão bálsamo, tão conflito...
Entrego-me nos braços da palavra.

Lindo teu poemar menino, adoro.
Bjos meu

Erikah

Ribeiro Pedreira disse...

a manhã das palavras tange a esporas a madrugada das sensações.

Batom e poesias disse...

Se é seu, o poema é encantado.
Bj
Rossana

Lara Amaral disse...

Irresistível, poeta!

Beijo.

Jorge Pimenta disse...

assis, que poemaço!!!

Tania regina Contreiras disse...

Beleza de poema, querido Assis...Extraordinária imagem a palavra a cavalgar-te!
Beijos

Ingrid disse...

nao devemos mesmo resistir.. seja as palavras ,seja as cavalgadas..
em todos os sentidos.
Vida!

Daniela Delias disse...

E saio atrás da tua cavalgada...lindo!

Menino-Homem disse...

a língua é danada de boa,
salve a palavra!

abraços,
do homem-menino

fique com Deus!

Everson Russo disse...

Uma bela quinta feira pra ti amigo..a.braços.

Lídia Borges disse...

"cavalga-me a palavra"
Segue a trote pela estrofe
Ganha as rédeas do poema.

Gostei!

Perdoe-me a ousadia.

Um beijo

Tuca Zamagna disse...

Excelente este poema, Assis. E pelos outros que li aqui, você consegue manter um ótimo padrão.

Sua terra é fértil para a poesia. Só aqui no Rio conheci três que sabem do riscado. Um deles, o Luís Pimentel, que nasceu em Gavião mas foi criado em Feira, é muito bom na prosa também.

Um abraço

Andrea de Godoy Neto disse...

este é maravilhoso!!
de ler, de sentir, de cantar...

beijo grande

Cris de Souza disse...

Ô língua afiada...