terça-feira, 7 de setembro de 2010

330 - Concerto de súbito garbo e louvor

Há o desafio da urgência que me impele para o teu corpo
Como se fosse o estuário de todos os sabores
E meus lábios, mãos, sexo se desencontrassem de prazer
Perdessem-se na vertigem inusitada desse mergulho
Cada vez mais agudo, feito lamina que sangra os sentidos
Para que o gozo - enraizado como pétala na penumbra -
Faça cristais dos nossos poros e transpirem em luz
A correnteza dos nossos dias eternizados
Como um silvo, uma fagulha, uma pequena pedra no jardim

16 comentários:

Ribeiro Pedreira disse...

um desejo incontível que arrebata feito água ladeira abaixo.

Ingrid disse...

sem palavras... puro desejo e arrebatamento..

Everson Russo disse...

Um corcerto ao infinito do amor...sempre....abraços de bom feriado.

teca disse...

Desejo de pura sedução! Lindo poema!

Beijos.

Lívia Azzi disse...

Intensa percepção sensorial que aguça os sentidos e liberta os prazeres.

Um beijo!

Tania regina Contreiras disse...

Para que o gozo - enraizado como pétala na penumbra -
Faça cristais dos nossos poros e transpirem em luz
A correnteza dos nossos dias eternizados...
Nossa, que coisa, sem palavras, Assis: o máximo!
Beijos,

Jorge Pimenta disse...

paleta de cores nos sentidos que se contraem e distendem sobre os contornos do prazer... em urgência... num mergulho perfeito!
um forte abraço!

Mirze Souza disse...

Assis!

Um mergulho de luz em eterna corrente sanguinea!

Belíssimo!

Beijos, poeta!

Mirze

Domingos Barroso disse...

"uma pequena pedra no jardim"

O silêncio me refaz.

Forte abraço,
camarada Assis.

dade amorim disse...

Forte, sensual e súbito como a paixão. Lindo, Assis.
Um beijo.

Daniela Delias disse...

Apaixonante, arrebatador. Belo, Assis...

Gerana Damulakis disse...

Ah, como gosto de versos derramados (o "derramados" aqui não tem sentido pejorativo, mas tão somente o sentido, digamos, do que se derrama como caudaloso que é).

Lara Amaral disse...

Sim, eu suspiro depois de te ler.

Beijo.

Everson Russo disse...

Uma bela quarta feira pra ti amigo,,,abraços.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

então a palavra nos serve e sorve corpo

Lau Milesi disse...

Brilhante, poeta! D+. Parabéns!
Beijossss