segunda-feira, 2 de maio de 2011

571 - balada de incenso e sândalo para senhora do paraíso


teu último beijo me arde
nas retinas incendiadas
tão medonho o demônio
de tuas ternuras bestiais

24 comentários:

Sandra Botelho disse...

Tem selinho lá no Meu Aconchego pra vc.Meus 500 seguidores.Queria dividir com vc essa alegria. Beijos achocolatados

Ribeiro Pedreira disse...

o paraíso infernal do último beijo...

Everson Russo disse...

Beijo ardente a inquietude dos sentimentos...abraços de boa semana.

Luiza Maciel Nogueira disse...

adorei isso "ternuras bestiais"

bjs

Ira Buscacio disse...

Infernalizante!
Bjs, Assis querido e linda semana

Wanderley Elian Lima disse...

Mas nunca será esquecido.
Abraço

Jorge Pimenta disse...

há infernos que se inscrevem frescos e indispensáveis nos altares da pele!
abraço, amigo!

Gosta/Cabelo disse...

hum, interessante. para mim o título desse poema diz mais sobre o poema do que o poema em si ^^''

Não visitem nosso Blog Musical:
http://alvoradadosom.blogspot.com/2011/04/megamix-alvorada-do-som.html

Sam disse...

o que me arde
são as partes que deixou de tocar
que deixou de provar
com medo de se render
até o fim.

Que poema arrebatador, Assis.
Meu carinho,
Samara Bassi.

Van disse...

Demônios desejáveis

Boa semana Assis!

Adriana Karnal disse...

medonho,demônio... um beijo anônimo.

Celso Mendes disse...

Um beijo deveras infernal...

Abraço!

Batom e poesias disse...

Um terno demônio que incendeia retinas...
Bonito.

bj
Rossana

Maria Andrade disse...

venho diariamente aprender.

Fernanda Hauptmann disse...

"ternuras bestiais" perfeito!

Wilson Torres Nanini disse...

Assis,

ao menos, retinas assim nunca são fatigadas.

Forte abraço, meu mestre!

Bípede Falante disse...

Ternuras e demônios, uma combinação imbatível!!!
bjs

Ingrid disse...

quanto ardor em inimagináveis desejos..
beijos

Úrsula Avner disse...

Olá poeta,

a paixão, seus mistérios, seu lado claro e escuro, seu encanto, seu lado que assombra ... A vida e seus paradoxos... Um abraço.

Cris de Souza disse...

adoro um contraste!

(deliciosamente diabólico)

LauraAlberto disse...

hum, os vermes não morrem com o fogo, não morrem com o frio...

Beijos
Laura

dade amorim disse...

O demônio do paraíso promete.
Bjs

MIRZE disse...

Esse demônio não deve ser terno e bestial em ternuras. É o CÃO!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Teresinha Oliveira disse...

Que inveja de um momento assim...
Pecado Capital para fazer par a tanto ardor.