terça-feira, 17 de maio de 2011

586 - ária profana pra ritmos intangíveis

Ela me esperava pássaro de laço inteiro
Deitava festa, empoleirava
Sorvia o canto de asas emplumadas

Eu flutuava num rastro de assovio
Com os pés alados em obediência
Breve seríamos redondilha maior

19 comentários:

Sandra Botelho disse...

E a canção antes solitaria se faria em um dueto.Beijos achocolatados

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Assis
Que a música se faça eterna, para que a dança nunca acabe.
Abraço

Jorge Pimenta disse...

todo o voo a quatro asas se faz em rima maior!
abraço!

Everson Russo disse...

Flutuar nos mais perfeitos acordes de amor..abraços de bom dia.

Mai disse...

performáticos em voo quedando plumas.
Um primor esse poema acrobata, Assis.

cheiro

LauraAlberto disse...

Assis:
obrigada, obrigada, mil vezes obrigada.
Estava desesperada à procura do texto que, graças e ti, fiquei a saber o nome e o autor!

O homem não pode voar, senão nas asas da poesia e dos teus versos.
Beijo
Laura

Bípede Falante disse...

O sonho de todos que tem gosto de ninho :)
Que lindo, Assis!
bjs.

Lara Amaral disse...

Desafiando gravidades. Lindíssimo!

Beijo.

Celso Mendes disse...

do canto e do voo, a poesia dançante das palavras.

Belo.

Abraço!

Tristan A. Guimet disse...

O senhor é de longe dos melhores poetas com que me tenho cruzado.

uma vénia humilde.

Zélia Guardiano disse...

E nós, seus felizes leitores, sempre voando alto nas asas dos seus versos...
Abraço apertado.

Ingrid disse...

por vezes tua intensidade me assusta..
beijo querido poeta

Cris de Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris de Souza disse...

tenho queda pelos pássaros...

Luiza Maciel Nogueira disse...

só falta voar Assis - essa poesia dá essa sensação de voar

bjs

MIRZE disse...

Assis!

Um voo asfixiante!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

dade amorim disse...

É mesmo incrível como você consegue criar um clima irresistível em cada poema.

Beijo.

Daniela Delias disse...

Arre"piozinho" aqui...

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

"Com os pés alados em obediência"...à tua poesia!

bj.