sexta-feira, 27 de maio de 2011

596 - suíte para uma possível confluência de rios

Quis a ventura do meu olhar te encontrar sossegada
Feito moça com brinco de pérola a espantar o vazio
Quis a ventura recolher em ramos os teus encantos
Para adornar a fronte desassossegada deste pária
Quis a ventura estancar com um assovio toda a dor
Num relance descortinar a rota final para o extravio


* O Ribeiro Pedreira ofertou-me um poema aqui

21 comentários:

Ingrid disse...

que assim seja! ..
encontros intensos para todo o amor..
beijos querido poeta..

Sandra disse...

Que não destrua o homem o que Deus proporcionou e permitiu.
beijinho

Tania regina Contreiras disse...

Moça com brinco de pérolas...? Um dos meu filmes favoritos!
Beleza, Assis...Vou roubar e levar ao Facebook.
Bjos,

vais disse...

Ei, Assis,
o título já dá o que imaginar
espantar o vazio recolher em ramos adornar a fronte e num relance descortinar
beijo de boa sexta

Celso Mendes disse...

Que se confluam os rios, que águas se fundam e nuvens se formem no firmamento.

Abraço!

Wanderley Elian Lima disse...

Quando nos encantamos por alguém , toda dor se acomoda.
Abraço

Rejane Martins disse...

Lidas as proporções, em desventura do poema, não do poeta,
eu me encanto e rio contigo :) isso deve ser poesia!

Luiza Maciel Nogueira disse...

que rios se encontrem em risos :)

bjs

Everson Russo disse...

Moça com brinco de perola do amor,,,,belissimo...abraços de bom final de semana.

MIRZE disse...

Belíssimo!

Nada melhor que espantar os vazios!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Ribeiro Pedreira disse...

Assis, tem alguma poesia pra você lá em casa!!!
abraço!

Tuca Zamagna disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tuca Zamagna disse...

Na possível confluência de tais rios, uma anunciada e viçosa pororoca.

Abraço

P.S.: Obrigado pela participação na festa da Raíssa, Assis. Adorei o resultado, ela mais ainda. E agora começo a colher frutos doces mas indigestos: já me pediram um presente semelhante para festa de 50 anos!

Lívia Azzi disse...

O amor tem esse desejo intenso de confortar a dor...

Beijo!

Carla Fernanda disse...

Boa noite!!
Passando para uma visita de sexta-feira!
Saudações,
Carla

Jorge Pimenta disse...

o amor: panaceia em delta de águas desiguais sobre uma mesma foz.
abraço!

Úrsula Avner disse...

e nessa confluência de rios, um mar de mistérios e possibilidades... Muito bom poeta ! Bj.

Bípede Falante disse...

Quero muito ser uma moça de pérolas, mas, às vezes, sou mais uma moça de porcos. Oh, vida, oh, pérolas, oh, porcos, oh, moça!
beijos

Daniela Delias disse...

A palavra "pérolas" é sempre tão linda, né Assis? Bjos, muitos e muitos.

Lara Amaral disse...

Essa moça pode ter ar de graça, mas são essas mesmas que trepidam o homem.

Beijo, poeta!

dade amorim disse...

Me espanta a facilidade com que a poesia flui neste blog incrível.

Beijo.