segunda-feira, 16 de maio de 2011

585 - suíte para violão tenor e amarelo

do que vejo pelo chão
são sombras rotas
imensidão

tocou-me ás em xeque
rainha de bolero

do que plaina em mão
pleno exército
de indagação

criva-me pelo em crina
cavalo de mistérios

do que finda no infindo
desafia a sina
curvam-me as retinas

13 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Ah, Assis...
Quisera palavras agora: clamo por elas!
Lindo demais!
Abraço, meu amigo, grande poeta.

Rejane Martins disse...

Caro Assis,
As nuances de cores que propões nos teus poemas criam imagens belíssimas em desenho poético.
Deixam, no olhar, um brilho cada vez que se chega por aqui e a garantia de imensidão num novo dia a poetizar.

Everson Russo disse...

Que o som ecoe nesse infinito de versos e amor...abraços de boma dia...

Batom e poesias disse...

Eu tenho um exército de indagações dentro do peito...

bj
Rossana

.maria andrade. disse...

acho q fiz uma interpretação até meio absurda, nem cabe aqui dizer, mas é bom saber que há qm viaje nesse mar de significações q são as palavras, não?

Walkyria Rennó Suleiman disse...

sombras
boleros
mãos
e mistério

que lindo quadro vc criou!

Van disse...

Por aqui tudo encantdo com as letras, como sempre.

A indicação foi tão somente pela qualidade do que encontramos aqui e pelo que gosto de ler e quero compartilhar para que mais pessoas usufruam dos seus poemas.
Já considero realizado o meu desejo independente de resultados.

O seu e os outros 5 blogs são leituras recomendáveis e necessárias.

Beijos!

O que Cintila em Mim disse...

Curvei-me até o chão.

Bípede Falante disse...

Tenho tanto medo de sina...

Ingrid disse...

arrepio de se olhar..
pele de ouvir..
beijos Assis

Luiza Maciel Nogueira disse...

a tua música - eu adoro!

bjs

MIRZE disse...

DIVINO!

Esses mistérios faz-me dobrar os joelhos e clamar: BRAVÍSSIMO!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

dade amorim disse...

Dúvidas e boleros, sombras e mistérios - bonito e irresistível.

Beijo.