quarta-feira, 4 de maio de 2011

573 - balada de voo longo dentro da noite

Nunca imaginei o encontro na esquina
Depois da canseira de pernas nas pedras
Daquelas ruas íngremes cheias de horizonte
Para mim a lua de São Jorge ainda flutuava
Líquida entre os passantes mais apressados
Pois havia a fumaça que entorpecia a sede

Eras o seu texto a tocar-me entre os dedos
Enquanto esperava o abrir-se da cortina
E finalmente a tua aparição
Como na pose do disco antigo da Janis
Talvez, talvez ainda corressem outros rios
Em meio aos ritos que apressaria a mostrar

Para mim a lua de São Jorge era de mais luta
De combates sangrentos, espadas e grilhões
Tu a fizeste mais próxima das fantasias
De princesa inacabada na frase do poema
Em teu soslaio de quem traga o pensamento
E se oferece em encontro fortuito na esquina

15 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Porque a lua de São Jorge, virou a lua de um apaixonado.
Abraço

Por que você faz poema? disse...

Há um mundo em cada esquina,
há um mundo em cada noite.

Everson Russo disse...

Luas e madrugadas das paixões,,,das loucuras de amor...abraços de bom dia.

Primeira Pessoa disse...

quero saber de que água você bebe, assis.
rapaz, dar conta de dar uma por dia, viagra de poesia.

muito bom.

Sam disse...

Wonderful!
Meu carinho, Assis
Samara Bassi

Celso Mendes disse...

Entre um disco antigo de Joplin e luas de Jorge, o poema nas esquinas e nas vielas da alma.

Sempre um prazer te ler.

Abraço!

Macaires disse...

A lua pode ser o palco para as mais diversas fantasias.

Beijo!

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

"De princesa inacabada na frase do poema
Em teu soslaio de quem traga o pensamento..."

Gostei de tudo, em especial da princesa feita de verso...

um beijo Assis!

Wilden Barreiro disse...

uma só mulher guarda mais mistérios que todas as eaquinas do mundo.

abraço

Lara Amaral disse...

É nessas noites que prefiro não dormir.

Beijo.

Wilson Torres Nanini disse...

a perfeição de que nos nutrimos vem nas ruínas mal dissimuladas de um soslaio.

meu querido Assis, quando vc completar 1001 poemas, vai ter inaugurado um novo cânone.

Forte abraço!

Lou Vilela disse...

Um en.canto! ;)

Cheiro

Rejane Martins disse...

Vim agradecer Caetano oferecido por tuas mãos. E agradeço.

Ingrid disse...

e a noite se fez canto..
sempre por tuas mãos..
beijo

dade amorim disse...

Encontros fortuitos podem marcar para sempre.

Beijo, querido.