domingo, 8 de maio de 2011

577 - Ode para caminho de pássaro entre crisântemos

Há quem vislumbre sobre o amor imensa pele
Lugar de assovio para águas
Mar de intensa sede

Eu o vejo espraiado em desatinos
Curva que não se pode alcançar
Horizonte de pares em desalinho

Pois do amor sabemos fogo e intempérie
Fulgor que se assanha em labaredas
Dor que instila veneno e alimento

Há quem vislumbre sobre o amor torta inclinação
Querubins sorrateiros em festa e seresta
Inculcando as faces de interjeição

Pois do amor eu nada quero saber
Contento-me em provar a foice aguda
Sentir o arrepio do corpo arquejante

17 comentários:

José Sousa disse...

Olá amigo!
Sempre que venho aqui, um lindo tema me alimenta a alma!

Um grande abraço.

Everson Russo disse...

Um belissimo dia das mães pra ti meu amigo,,,muita paz e muito carinho de Deus a todas as mães que fazem parte da sua vida..abraços fraternos...

Primeira Pessoa disse...

o arrepio e o talho, maradona de ondina.

e um punhado de sal, que são suas palavras.

beijão, zé de assis!

MIRZE disse...

AH! ASSIS!
Seria desse jeito que eu terminaria o poema, Provar, se prender.... tem razão, também penso assim.

Maracilhoso!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Blog do Pizano disse...

esta poesia foice aguda
alimento e veneno

só para mestres

reverências

Sam disse...

Fantástico, Assis.
Meu carinho
Samara Bassi

Jorge Pimenta disse...

a sede e a saciedade num único lábio.
abraço, assis!

Lara Amaral disse...

Só gosto de ler sobre o amor se for assim, de um jeito original. E isso vc sempre o faz maravilhosamente.

Van disse...

Do amor nunca se sabe, só se sente

Beijos Assis!

dade amorim disse...

Ninguém sabe muito mais sobre o amor.

Beijo.

Ingrid disse...

do amor o fulgor e saciedade nos preenchem..
voos incansáveis..
beijo poeta.

Em@ disse...

e é quanto basta.
amei, Assis.
beijo

Anônimo disse...

Oi bonito post , apreciei muito, talvez poderiamos tornar-nos blog palls :) lol!
Tirando as piadas o meu nome é José, e como tu escrevo na internet embora o tema principal do meu espaço é muito distinto de este....
Eu estudo websites de poker que falam de dinheiro grátis para jogar poker sem teres de por o teu dinheiro......
Adorei muito o que vi escrito novamente
Voltarei!:)
Ps:tenho um portugues ruim.

Cris de Souza disse...

arrepiou! falas do amor feito ninguém...

deu até vontade de "djavanear":

" por ser amor, não cabe em si. "

Luiza Maciel Nogueira disse...

e o que comentar desses versos dançantes que alimentam imagens poésis, qualquer palavra temo ser insuficiente

bjs

Teresinha Oliveira disse...

Eu também do amor prefiro a crueza.
Querubins não cantam minha preferida canção, talvez por nunca tê-la ouvido.

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

"Há quem vislumbre sobre o amor imensa pele
Lugar de assovio para águas
Mar de intensa sede..."

Fez lembrar Gibran...

Beijo Assis maior!