quinta-feira, 12 de maio de 2011

581 - Canção de fervor a aurora crucial

Outrora a estrada se perdia no infinito
E era tão bonito o horizonte da manhã
Com o hálito de terra molhada
Os passos salpicados de amanhecimentos

9 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

sentidos cheios de imagens em poesia

bjs!

Lara Amaral disse...

Seria bom amanhecer sempre com o bom-humor desse poema.

Doce beijo!

Bípede Falante disse...

Amanhecimentos. Que palavra deliciosa :)
bjs

Bípede Falante disse...

E os comentários sumiram :(
Mas pelo menos o poema está aqui são e salvo!! :)

Luiza Maciel Nogueira disse...

não lembro o que tinha comentado exatamente mas, eita poeta bom esse viu

bjs

MIRZE disse...

ASSIS!
É mesmo preciso uma canção de fervor à todas as coisas de outrora. Tudo mais intenso e belo!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

dade amorim disse...

As manhãs de outrora sempre merecem poemas.
O Blogger comeu nossos comentários, já reparou?

Jorge Pimenta disse...

já cá tinha estado... regresso para um abraço a amanhecer em passo salpicado de infinito, poeta amigo!

Ingrid disse...

infinito..
beijos