sábado, 14 de maio de 2011

583 - canto para território de consoantes e vogais

cada palavra inventa sua geografia
como um corpo inventa a sua pele
mesmo sem vento que o impele
nem susto na caligrafia

cada palavra inventa sua geografia
como o pássaro inventa as asas
mesmo sem o canto de alforria
nem espanto na agonia

25 comentários:

Silviah Carvalho disse...

Tudo é inventado na geogria da vida.Parabéns.

Jorge Pimenta disse...

depois da tempestade que abalou o verbo, nesta morfologia dos blogues, o regresso, e de que forma: em.cantos de geografia maior - as consoantes e as vogais são apenas as partes que ensinam o todo. e não apenas com a voz.
abraço, assis!

Cris de Souza disse...

o poeta e seu alfabeto esmerado.

beijo, mestre!

Analuz disse...

A palavra inventa sua geografia, mas ignora sua rota...

Beijinho de fim de semana, poeta Assis!

Sam. disse...

Gostei tanto do seu comentário que complementei o post com ele!

Lindo demais!

Um beijo!
Bom final de semana!

Marcantonio disse...

É o território onde também se inicia a história,e onde poetas-dédalus constroem asas sonoras na ânsia de transcendê-la.

E percebi que a rima tomou de assalto esse poema!

Abração.

Everson Russo disse...

Cada palavra tem a força de levar os sentimentos longe...abraços de bom sabado...

MIRZE disse...

Esse canto chegou aqui em Copacabana. Tudo pela geografia, cantou o pássaro.

Belíssimo, Assis!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

dani carrara disse...

obrigada, assis.
(vc viu que o comentário seu, das "sem palavras", sumiu com as horas fora do ar, do blogger?) rs.

eba!, ganhei outro. rs

um belo dia pra vc...

bjão!

NãoSouEuéaOutra disse...

a geografia pode ser um mundo visto assim...
então eu, poderei dizer, que, me deito umas vezes de barriga para baixo e outras para cima em cada letra; por baixo e dentro delas e vou escorregando e escorregando, demorando-me em algumas e outras nem tanto.

abraço de bom fim de semana

Perla disse...

Em cada palavra
pode haver um sopro de poesia.
E é bela a sua.

Bjos

Ingrid disse...

sons que tua inspiração inventa e nos encanta, ao ler-te..
beijos..

Loba disse...

e o poeta inventa a morfologia do poema! como eu queria ter vc lá!
bjo

Lídia Borges disse...

Sim, cada palavra pode abrir mil e um caminhos de acordo com o mapa inscrito em cada leitor.

Eu gosto do sentido destas palavras.


Um beijo

Fred Caju disse...

Você só confirma o quanto o considero inteligente e zeloso pelas palavras!

Domingos Barroso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Domingos Barroso disse...

as palavras são almas
que procuram casa
dentro da gente
para depois
fugirem
...

forte abraço,
irmão Assis.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

plavras q por vezes sabem o q delas queremos, o silencio de geografias nunca exatas

Blog do Pizano disse...

cada palavra
contém sua poesia

território sem limites
nas mais de um mestre

ave, Assis

Sonhadora disse...

As palavras são os dedos da alma...a geografia do verso.
Como sempre faltam-me as palavras para comentar.

Beijo
Sonhadora

dade amorim disse...

Poeta descobre coisas que nunca seriam descobertas sem ele. E oengraçado é que essas descobertas fazem toda a diferença na vida de quem as apreende.

Beijo, Assis.

Úrsula Avner disse...

em cada consoante, em cada vogal,em cada palavra, o mistério de ser... Muito bom poeta ! Um abraço.

Rejane Martins disse...

Realmente muito bonito esse trajeto indicado pelas palavras.
Vento ou susto - ares que se renovam em poesia mais que perfeita.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

que verdade
assim, pesno que em cada palavras inventamos mundos....

Luiza Maciel Nogueira disse...

cada poema seu é um país

bjs